Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Anciões do Norte
 
Eldenser, "O Ancião Envolto em Lâminas"
Fonte: Dragon Magazine #237
Por Ed Greenwood com material suplementar fornecido por Sean K. Reynolds.
Tradução por Airton Alves Medina; revisado por Daniel Bartolomei Vieira.


Desta vez Volo descobriu um dos mais raros e interessantes dragões do Norte: Eldenser, o Ancião Envolto em Lâminas. Sussurrado nas lendas obscuras do Norte durante seis séculos (e descrito como frágil com relação à idade até em suas menções anteriores). Eldenser é um grande ancião de ametista de aparência decrépita e esgotada. Há muito tempo atrás ele dominava magias que permitiam que deixasse seu corpo enfraquecido e gasto em um esconderijo seguro (supostamente uma cripta na Cidade dos Mortos em Águas Profundas) e transportava sua essência para dentro de qualquer lâmina afiada forjada de metal.

Deste modo, Eldenser engana a morte com o passar das eras, preservando sua forma decadente tanto possível por deixá-la sem uso e protegida do ar e das intempéries, enquanto ele passa de lâmina em lâmina, hábil em ver, escutar e falar livremente para fora do metal – e todos os metais em contato direto com lâmina que ele atualmente habita.

Autoridades unanimemente se referem a este dragão como um macho, e os poucos que fazem menção de seu verdadeiro corpo dracônico falam que suas asas são pouco mais do que farrapos suspensos entre a estrutura da sua espinha dorsal, e que suas escamas são quase brancas em certos lugares, tendo empalidecido com as eras, da mesma forma que o antigo dragão negro de Cormyr se tornou “o Dragão Púrpura”. Diz-se que ele possui pontudas sobrancelhas e uma extensa “barba” de espinhos em seu queixo, ambas brancas em tonalidade, e por possuir grandes olhos prudentes cuja costumeira aparência é “brilhante com divertimento interno”.

Em seus dias de juventude, é dito que Eldenser era um solitário viajante entre os dragões, que voava rapidamente sobre Faerûn (as terras selvagens do Norte da Costa da Espada em particular) sem aparente rumo ou motivo, seguindo seus próprios caprichos. Esta claro agora que ele apreciava seu primeiro amor: a observação de todas as coisas vivas, e aprendendo como elas aparecem e “funcionam” em todos os estágios da vida. O profundo conhecimento desta ordem que ele adquiriu com o passar das eras fez dele menos arrogante e mais formidável do que a maioria dos dragões – ele conhece as causas e efeitos das ações e eventos mais do que a maioria dos seres vivos de Toril.

Fica claro, também, nos registros históricos, que Eldenser tende evitar outros dragões – mas revela-se como um astuto, entusiasta e um lutador selvagem quando atacado. Três mulheres da família do antigo lorde nômade Tharnor do Norte, viram Lorragauth, um dragão negro de certa reputação, se lançar para atacar Eldenser quando o Espreitador estava se introduzindo dentro do território de Lorragauth. Enquanto Lorragauth estendia suas asas lentamente e mirava a si mesmo para um devastador ataque, Eldenser tranqüilamente quebrou suas asas de uma só vez, girando para erguer-se com severidade sob a asa direita de Lorragauth – e o Espreitador lançou-se sobre ele, rasgando uma das asas de seu adversário e quase o corpo todo do ancião, mandando o azarado Lorragauth “rolando através das rochas e do céu, para uma morte violenta contra um lado da montanha em algum caminho para o sul”.

Também se diz que Eldenser arrebatou um barco pesqueiro enquanto era perseguido por um gigantesco dragão vermelho, dando uma volta no ar para usar a embarcação como uma lança rude, perfurando o olho de seu adversário e matando-o antes que o veloz ancião vermelho pudesse lentamente baixar ou mergulhar de lado. A maioria das façanhas de Eldenser preservada no Conhecimento dos Reinos, no entanto, relacionam suas proezas enquanto escondido em varias espadas – tais como a vez que ele causou a morte do notoriamente cruel e destrutivo mago Arnaglym de Arrabar através da inesperada reflexão da magia bola de fogo que Arnaglym conjurou contra um empunhador de Eldenser, arremessando ela de volta no mago, que estava em um salão com um teto de vigas batidas de onde dependuravam-se imensas tapeçarias velhas e inflamáveis – que se tornou um inferno sufocante do qual o cruel Arnaglym não pôde escapar.

Existe uma quantidade de semelhantes contos surpreendentes dos fantásticos poderes emanados das lâminas que Eldenser possuiu, e muitas mais as quais não são contadas pelos bardos e sábios dos dias de hoje – mas nas quais ele pode ser responsável.

É importante lembrar que Eldenser luta com prazer somente quando a batalha não pode ser evitada; ele prefere observar e permanecer indetectável, ou, no mínimo, ignorado. Ele gosta apenas de observar silenciosamente, e este hábito tem dado e ele uma valiosa extensão de experiências e conhecimento, de como cozinhar certas receitas complicadas até as configurações de sistemas de esgotos e vielas em muitas cidades, onde certos tesouros ficam escondidos. Foi dito (e repetido por alguns Harpistas veteranos) que “Eldenser observa muito, e nunca esquece qualquer coisa, desde uma expressão em uma face vislumbrada no meio da multidão até a posição das peças de um jogo de azar em um tabuleiro visto através de uma entrada enquanto passando apressado”. O Espreitador nunca vai fazer uma coisa tão estúpida como vender tal informação, mas ele vai, muitas vezes, negociar um serviço por algo sobre isso, para conseguir aventureiros ou outros para fazer alguma coisa que ele não procura tomar parte diretamente – mas que procure observar.

Elminster corrige muita das suposições sobre os poderes de Eldenser que se seguem, mas ele enfatiza que aventureiros não precisam confiar no que é dito aqui; as verdadeiras habilidades do Espreitador podem ser mais potentes. Tudo do que segue imediatamente se refere aos poderes do dragão enquanto ele está dentro de um objeto de metal, que é quase sempre uma espada de excelente fabricação.

Eldenser conhece Comum e muitos idiomas humanos e élficos. Ele não gosta da “sensação” de itens de metal que possuam tendências que não sejam, no mínimo, parcialmente neutras, e não vai permanecer neles por mais do que um tempo minimamente necessário para executar uma provável transferência para um lar mais adequado (em outras palavras, até ele perceber outros itens de metal próximos, ele não gosta de uma “mudança cega”). Ele não vai manifestar qualquer um de seus poderes ou conjurar qualquer magia quando em tal situação, exceto aquelas que vão provavelmente causar uma imediata possibilidade de transferência (ele pode liberar um raio para atrair a atenção de um aventureiro, por exemplo, permitindo que ele se mova para dentro da arma deste).

Eldenser é algumas vezes chamado de “o Espreitador” no conhecimento do Norte, visto que ele se revela somente se escolher, muitas vezes passando muito tempo silenciosamente observando aqueles que o empunham (ou, de preferência, a lâmina que ele atualmente habita) antes de falar com eles ou exibir seus poderes. Em cerca de 1277 CV, ele contou a um corajoso Harpista que o questionou sobre isto: “Eu prefiro observar os esforços de outros e atuar somente quando eu necessitar. De tempos em tempos alguma coisa dentro de mim me emociona, e ergo-me para realizar minha vontade em Faerûn com vigorosa energia… mas estas ascensões raramente acontecem agora; devo estar ficando velho”.

Os relacionamentos do Espreitador com outros dragões têm sido, nas palavras do sábio humano Velsaert do Portal de Baldur (que rapidamente tornou-se reconhecido como uma autoridade na historia de dragões por toda a Costa da Espada) “Um desfile de amigáveis ocultações – mas mortalmente preparadas”. Colocando nas palavras do cotidiano, isso significa que Eldenser prefere esconder a si mesmo dos outros dragões, reagir com calma amizade se for descoberto – e ser rápido e selvagem na batalha se forçado a defender a si próprio (ou seu empunhador).

A chave para o caráter de Eldenser pode ser dita estar em seu interesse na rica variedade de Faerûn, conforme ele descobre tudo ao seu redor. Ele é paciente, de bom caráter e sábio, hábil a descrever muito mais experiências do que a maioria dos seres mortais, para vencer adversários que planejam à frente. Ele pode colocar a prudência de lado em um instante se precisar, explodindo em uma audaciosa ação, mas ele não possui interesse em atrair ou armar ciladas para outros (ainda que ele possa manipular criaturas para ajudarem seu empunhador, ou meramente observar o resultado – particularmente se ele estiver prestes a revelar o caráter de alguém em quem esteja interessado, talvez um possível empunhador da lâmina que ele esta atualmente habitando).

É dito que Eldenser é um perfeito mímico e que possuir um bom gosto por charadas e quebra-cabeça. Nos anos recentes, ele tem se tornado progressivamente fascinado pelo amor em todas as suas formas, e o que o amor pode fazer com os seres vivos.

Diz-se que o Ancião Envolto em Lâminas é um adversário de quem quer que seja que o moleste diretamente – ele não perde tempo em perseguir qualquer um na qual ele tenha um fundamento para o fazer, embora ele certamente vá frustrar os planos do Culto do Dragão sempre que puder.

O Covil de Eldenser

O Espreitador não possui nenhum servo conhecido, querendo ou não, mas ele está pensando em aproveitar uma aliança com Simbul, a Rainha Bruxa de Aglarond, e possivelmente com suas irmãs Syluné e, surpreendentemente, Dove (que tem o empunhando de tempos em tempos em grandes batalhas contra os Zhentarim, Thayanos ou outras ameaças magicamente poderosas). Ele não aparenta possuir nenhum covil verdadeiro, mas prefere uma dúzia ou mais de ilhas marítimas inacessíveis ou cavernas no coração da montanha em que ele “esconde” seu corpo imóvel e mantido pela estase.

Durante maior parte do tempo, este corpo fica em uma cripta na Cidade dos Mortos. A tumba é acessível somente pela passagem correta através de muitas armadilhas de portais que lançam os descuidados para destinos aleatórios (por exemplo, um nível profundo na Montanha Subterrânea ou nas vizinhanças da arruinada Myth Drannor) a menos que um usuário expresse as senhas corretas enquanto os atravessa. Existem rumores que a cripta contém brumas protetoras ou barreiras mágicas de proteção similares, incluindo horrores de elmo ou guardiões autômatos similares, mas nenhum detalhe preciso de tais defesas está disponível.

Os Domínios de Eldenser

Dentro de lâminas, Eldenser vaga por toda a Faerûn, considerando nada disso seu “território”, mas tudo disso seu para explorar. Ele ignora dragões de qualquer raça – a menos que o descubram, portanto ele alegremente despreza qualquer tentativa de estabilizar autoridade sobre ele (ou qualquer um empunhando a espada que ele atualmente habite). Eldenser geralmente possui pouco interesse em matar outros dragões de qualquer tipo, mas ele não gosta de fugir deles. Ele prefere superar outros dragões ou ser mais esperto do que eles, e então ele abandona ficar seu descanso, preferindo isto a permiti-los considerar a si mesmo vitorioso sobre ele.

Hábitos e Façanhas de Eldenser

As favoritas presas do Espreitador são felinos grandes de qualquer tipo, ainda que ele geralmente se alimente de gado, e igualmente sugue nutrientes de qualquer ferida que são causadas enquanto habitando a lâmina. Diz-se que ele apreciar bom vinho e queijos picantes também.

Não é conhecido se Eldenser alguma vez se acasalou com uma dragonesa. Sabe-se que ele tem acompanhado muitas fêmeas humanas – e no mínimo uma dama élfica – durante maior parte de suas vidas, e de ter feito amizade com indivíduos heróicos de ambos os gêneros e da maioria das raças inteligentes. De coração, ele é alheio a estas coisas, mesmo entre dragões: ele é um solitário satisfeito.

Eldenser passa seus dias buscando três coisas: observar as belezas de Faerûn e as divertidas aspirações de seus habitantes (meio-elfos, humanos e elfos em particular), tentar influenciar eventos do mesmo modo que os governantes e arquimagos fazem, e seguir o Caminho de Ossavitor para ascensão.

Ossavitor foi – ou é (ele está agora morto ou habitando um outro plano) – um dragão de esquecida espécie, que alcançou uma coisa muito importante para toda a raça dos dragões há uns 20.000 anos atrás: seu Caminho, ou processo mágico para alcançar a imortalidade.

Humanos são advertidos que a traição de qualquer conhecimento deste processo (mesmo mencionar seu nome em pesquisas “confidencias” no Forte da Vela, por exemplo) vai atrair a atenção tanto do Culto do Dragão (que estão ansiosos para eliminar rivais em suas ofertas para influenciar dragões em alcançar o estado de dragões lich) quanto de dragões poderosos de todos os tipos.

O Caminho de Ossavitor é um longo, exigente e difícil processo, mas os detalhes deste permanecem secretos para este escritor (em outras palavras, Volo não pôde descobrir qualquer coisa a mais sobre isso e Elminster se recusa a tratar do assunto). Khelben “Cajado Negro” Arunsun, o Mago Lorde de Águas Profundas (e presumidamente outros magos poderosos de seu conhecimento, tais como sua cônjuge Laeral e talvez outros dos Escolhidos de Mystra) possuem o inteiro processo em algum lugar em uma de suas ocultas bibliotecas. Ambiciosos aventureiros devem tomar nota que dragões – após um longo e impressionante crescente índice de mortalidade subiu alarmantemente – há muito tempo atrás desistiram de qualquer esperança de conseguir os segredos de Ossavitor vindos de Cajado Negro.

O que eu descobri até agora é o resultado final do processo e o número de seus ingredientes. O resultado final é a prática imortalidade. Ele dá para essência dos dragões três corpos para habitar (os dois fora de uso ficam em êxtase, e escondidos muito longe, em remotas cavernas montanhosas, enterrados sob a areia no coração de vastos desertos como as Planícies da Poeira Púrpura em Raurin, e assim por diante) e permite aos dragões selecionar o tamanho e a “idade” destes corpos. O dragão permanece com sua resistência à magia e magias apesar da idade aparente de sua forma, mas seu tamanho, Dados de Vida, sopro e seu tipo variam com a idade escolhida. Todos estes novos corpos criados são vigorosos e possuem cura acelerada 3. Como a essência dos dragões se move de um corpo para outro também permanece um mistério, mas a evidência escrita sugere que isto pode ser feito tantas vezes quanto desejado, e com facilidade.

O processo em si é a coisa mais difícil de se descobrir. Eu suspeito que dragões ou seus agentes, e os membros do Culto do Dragão, tenham planejado roubar ou destruir tantas referências para o Caminho quanto possível. Eu estou confiante que isso envolve reunir muitos componentes dracônicos, incluindo a garra de um dragão de topázio, uma escama de um dragão de prata, um pouco de sangue de um dragão de bronze, e assim por diante (Nota: Esta é a opinião de Volo, mas Elminster não mostra a correção desta).
Presume-se que Eldenser pode conhecer (ou ele acredita conhecer) o completo Caminho, e está perseguindo a coleção de componentes de modo paciente e quase vagaroso. Certamente ele possui muitos indivíduos influentes que empunham a lâmina a qual ele faz parte, de modo a atacar e matar dragões – e se ele tiver sucesso, para separar certas partes de seus corpos que desaparecem ao toque da lâmina (presumidamente teletransportadas para longe por uma magia conjurada por Eldenser, para algum esconderijo secreto).

O Destino de Eldenser

Embora a perseguição de Eldenser ao Caminho de Ossavitor possa ser descrita claramente como lenta e quase indiferente, com um alto valor estabelecido em aproveitar o alcance total de experiências que Faerûn tem para oferecer a um paciente observador, parece provável que Eldenser alcance a quase imortalidade do Caminho. Ele tem trabalhado nisso por tanto tempo e tomando tantos cuidados sobre os detalhes que (na avaliação de Elminster, no mínimo) ele está somente a um último sinal da graça, ou de um toque, de estar apto a cumprir o Caminho.

É possível que Eldenser já tenha alcançado este estado e está simplesmente relutante em deixar seu atual modo de vida. Talvez ele esteja tentando criar ou descobrir psiônicos que vão habilitá-lo a habitar lâminas e viajar entre elas e seus três novos corpos tão livremente como ele faz atualmente entre seu velho corpo original e as várias armas de que ele tem sido uma parte. É certo que ele tem passado uma grande parte do tempo dentro e ao redor do Forte da Vela e na Fortaleza do Arauto nos anos recentes – após ter procurado em ambos os lugares há séculos anteriores por todo tipo de referencia sobre o Caminho.

Contra esta futura possibilidade de sucesso, Eldenser é obrigado a se colocar frequentemente em um modo de vida perigoso. Mais do que a maioria dos dragões, ele coloca a si mesmo em risco muitas vezes, e por extensos períodos de tempo. Somente os deuses podem decidir se a má sorte vai encontrá-lo antes de ele executar o Caminho – e o que traz à mente de Volo uma última nota sobre o Ancião Envolto em Lâminas: Existem muitos e persistentes, mas inteiramente reconhecidamente não comprovados, rumores de que Eldenser seja aliado ou servo desta ou aquela divindade de Faerûn.

Elminster apenas sorriu e balançou a cabeça quando leu estas linhas, recusando confirmar ou negar a verdade disto. Ao invés disso, ele silenciosamente assinalou varias últimas palavras para Volo: “Siga vigiando. Mantenha um olho nele – se possível”.

A Magia de Eldenser

Credita-se que Espreitador tenha aprendido e praticado muitas magias raras e estranhas. Ele possui todas as habilidades psiônicas de um grande ancião ametista, mas seus precisos poderes mentais permanecem um mistério; Elminster crê que uma das realizações de Eldenser seja a habilidade de duplicar os efeitos de certos poderes de alto nível que ele pode realizar uma vez por dia, custando pontos de vida ao invés de pontos de poder.

Duas das habilidades de Eldenser, em particular, são procuradas por outros dragões (e pelos ambiciosos magos de Thay e do Culto do Dragão), e estas seguem abaixo (as descrições destes poderes são retirados das anotações em livros de Khelben “Cajado Negro” Arunsun, que aparentemente recebeu-lhes de Eldenser há muito tempo atrás em uma permuta por magia).

Anel Brilhante e Fatal
Metacriatividade (Int) [Força]
Nível: Psion 6 /Guerreiro Psíquico 6
Exposição: Au, Vi
Tempo de Manifestação: 1 ação
Alcance: Médio (30 m + 3 m/nível)
Alvo: 1 objeto ou criatura inteligente
Duração: 1 minuto/nível ou até ser descarregada (D)
Resistência a Poder: Sim
Teste de Resistência: Não
Pontos de Poder: 11

Você cria um anel de energia brilhante azul clara ao redor do alvo, assemelhando-se com fogo das fadas, que fornece luz igual a uma vela. O anel estende-se a 1,5 m horizontalmente do alvo. O anel se move com o alvo e não interfere com seus movimentos e habilidades. O anel pode ser programado com um dos dois efeitos:

Descarga completa: O próximo inimigo do alvo que toque o anel o descarrega, liberando um pulso de força no inimigo que causa 11d6 pontos de dano de força. Isso acaba com o poder imediatamente.

Descarga Aleatória: Como acima, exceto que cada vez que o anel é tocado por um inimigo, ele libera somente uma porção de sua energia escolhida por você (tais como 3d6, 2d6, 1d6, e assim por diante). O anel permanece até ele liberar 11d6 dados de dano, nesse ponto o poder termina.

Infiltrar-se em Aço
Psicoportação (Des)
Nível: Psion 5
Exposição: Nenhuma
Tempo de Manifestação: 1 ação
Alcance: Pessoal
Alvo: Você
Duração: 1 hora/nível ou até você retornar para seu corpo (D) (ver texto)
Pontos de Poder: 9

Você liberta seu espírito do seu corpo, permitindo-lhe viajar como uma criatura incorpórea e habitar lâminas metálicas (tais como adagas, espadas e assim por diante). Enquanto incorpóreo, você não pode realizar ataques ou usar qualquer habilidade, mas você pode voar com deslocamento 9 m (perfeito). Você não pode carregar qualquer equipamento com você, mas adquire bônus de deflexão para sua CA igual a seu modificador de Carisma. Você pode ficar incorpóreo por até 3 rodadas consecutivas, após isso o poder termina e seu espírito retorna para seu corpo. Quando incorpóreo você é afetado por magias e poderes que protegem ou causam dano em tais espíritos desincorporados ou tentativas de possessão, tais como circulo mágico contra o mal, que previne você de entrar ou tentar possuir qualquer lâmina dentro da área.

Enquanto incorpóreo, você pode sobrepor uma lâmina metálica com sua forma incorpórea e entrar nela completamente. Enquanto “possuindo” a lâmina desta maneira, você pode ver, escutar e sentir tão bem como um humano normal. Você pode falar e usar quaisquer poderes ou habilidades que você possua, desde que não necessitem de componentes gestuais ou materiais (por essa razão poderes psiônicos funcionam normalmente). Você não pode mover a lâmina, a menos que você possua magias ou poderes psiônicos que permitam você mover objetos (tais como mãos distantes, deslizar ou telecinésia). Você pode permanecer dentro da lâmina indefinidamente, sujeito a duração do poder. Como uma ação padrão você pode deixar a lâmina e tornar-se incorpóreo novamente, ou transferir-se diretamente entre duas lâminas em contato físico nesse momento. Uma lâmina possuída por você pode passar a redução de dano como se ela possuísse um bônus de +2 de melhoria, mas ela não vai ganhar qualquer bônus para ataque ou dano. Danificar a lâmina não causa nenhum dano a você, e destruí-la meramente reverterá você até sua forma incorpórea. Em qualquer momento você pode finalizar o poder como uma ação padrão e imediatamente retornar para seu corpo.

Se você tentar possuir uma lâmina inteligente, a lâmina resiste e você é obrigado tentar um teste de resistência de Vontade (CD = ego do item). Sucesso indica que você possuiu a lâmina e pode usar as habilidades dela, além das suas próprias (então, se a arma pode teletransportar uma vez por dia, você pode ativar esta habilidade e teletransportar a si mesmo e a lâmina para sua localização de escolha). Falha significa que você pode possuir a lâmina, mas não pode usar suas habilidades ou quaisquer de suas próprias (você é essencialmente um passageiro), ainda que você possa deixar a lâmina normalmente.

Seu corpo fica para trás, inconsciente. Efeitos em seu corpo (tais como veneno, doença e assim por diante) continuam enquanto você está longe, e pela razão de seu corpo ainda estar vivo, ele ainda necessita de ar, água e comida. Se seu corpo morrer, você morre.

Eldenser: Macho grande ancião dragão de ametista; ND 25; dragão Imenso (terra); DV 39d12+234 (487 PV); Inic. +2; Desl.: 12 m, cavando 6 m, vôo 60 m (desajeitado); CA 50 (toque 8, surpresa 48); Atq corpo a corpo: mordida +46 (dano: 4d6+12) e 2 garras +41 (dano: 2d8+6) e 2 asas +41 (dano: 2d6+6) e pancada com a cauda +41 (dano: 2d8+18); Face/Alcance: 6 m x 12 m/4,5 m; AE telecinese ametista, sopro (36 m linha de força concussiva), esmagar 4d6+18, gema explosiva 13d6, presença aterradora, modos de combate psiônico (todos modos de ataque /todos os modos defesa), psiônicos, rasteira com a cauda 2d6+18; QE percepção às cegas 108 m, visão no escuro 360 m, RD 20/+3, resistência a fogo 30, força resistente, visão na penumbra, viagem planar, RM 31, pontos de poder psiônico 170; Tend N; TR Fort +27, Ref +23, Von +26; For 35, Des 15, Cons 23, Int 24, Sab 21, Car 22.

Perícias e Talentos: Blefar +48, Concentração +48, Diplomacia +49, Arte da Fuga +21, Esconder-se -11, Intimidar +10, Conhecimento (geografia) +49, Conhecimento (historia -- o Norte) +49, Conhecimento (local -- Norte) +49, Conhecimento (natureza) +47, Conhecimento (nobreza e realeza) +37, Conhecimento (psionicismo) +49, Ouvir +47, Identificar Psionicismo +49, Procurar +49, Observar +47; Estender Poder, Investida Aérea, Armadura Inerte, Poder Persistente, Ataque Poderoso, Poder Penetrante, Arma Psiônica, Acelerar Poder, Arrebatar, Inversão.

Telecinésia Ametista (Esp): Uma vez por dia, Eldenser pode usar um efeito de telecinésia. Com esta habilidade, ele pode erguer até 10 toneladas (10.000 kg) ou arremessar uma criatura contra um outro objeto. O impacto causa 20d6 pontos de dano para uma criatura Grande, 15d6 para uma Média, 10d6 para uma Pequena, 5d6 para uma Miúda, ou 1d6 para uma criatura Mínima ou Minúscula.

Sopro (Sob): Uma vez a cada 1d4 rodadas, Eldenser pode soprar uma linha de 36 m de força concussiva. Cada criatura na área afetada recebe 24d8 pontos de dano (Reflexos CD 35 para metade dos dano). Ele pode escolher causar uma quantidade igual de dano de contusão ao invés do dano normal.

Esmagar: Quando voando ou saltando, Eldenser pode pousar sobre oponentes de tamanho Médio ou menor como uma ação padrão, usando todo seu corpo para esmagá-los. Um ataque de esmagar afeta tantas criaturas quantas possam se encaixar sob seu corpo. Cada criatura na área de efeito é obrigada obter sucesso em um teste de resistência de Reflexos (CD 35) ou ficará imobilizada, recebendo automaticamente 4d6+18 pontos de dano de concussão. Depois disso, se Eldenser escolher manter a imobilização, trate a ação como um ataque normal de agarrar (bônus de agarrar +63). Enquanto imobilizado, os oponentes recebem 4d6+18 pontos de dano de concussão a cada rodada.

Gema Explosiva (Esp): Uma vez por dia, Eldenser pode cuspir um losango cristalino violeta a até 22,5 m de distância com exata precisão. A gema explode no impacto, causando 13d6 pontos de dano de impacto para cada criatura em um raio de 6 m (Reflexos CD 29 para metade do dano).

Presença Aterradora (Sob): Esta habilidade tem efeito automático quando Eldenser ataca, investe ou voa sobre a cabeça de seus oponentes. Isso afeta somente oponentes com 38 ou menos Dados de Vida ou níveis. Cada criatura afetada é obrigada a obter sucesso em um teste de resistência de Vontade (CD 35) ou ficará abalada durante 4d6 rodadas (se ela possuir 5 ou mais Dados de Vida) ou em pânico por 4d6 rodadas (se ela possuir 4 ou menos Dados de Vida ou níveis). Sucesso indica que o alvo fica imune à presença aterradora de Eldenser durante um dia.

Psionismo (Esp): 3x/dia – pisão; 1x/dia – invisibilidade, equilíbrio corpóreo, sugestão.

Rasteira com a Cauda: Eldenser pode dar uma rasteira com sua cauda como uma ação padrão. A rasteira afeta criaturas Pequenas ou menores dentro de um semicírculo de 9 m de diâmetro centrado nas costas do dragão. Cada criatura afetada que falhar em um teste de resistência de Reflexos (CD 35) recebe 2d6+18 pontos de dano de concussão; um sucesso reduz o dano pela metade.

Percepção às Cegas (Ext): Eldenser pode discernir seus arredores por meios não visuais (geralmente escutando ou farejando, mas também por sentir vibrações e outros indícios do ambiente). Esta habilidade o habilita discernir objetos e criaturas dentro do alcance de 108 m. Ele geralmente não necessita fazer testes de Observar ou Ouvir para perceber criaturas dentro do alcance de sua habilidade de percepção às cegas.

Resistência à Força (Ext): Eldenser ganha +4 de bônus nos testes de resistência contra poderes psiônicos, magias ou efeitos baseados em força.

Visão na Penumbra (Ext): Eldenser pode enxergar quatro vezes melhor do que um humano em condições de pouca luz e o dobro em luz normal.

Viagem Planar (Sob): Eldenser possui a habilidade inata para passar instantaneamente entre o Plano Material e os Planos Internos.

Habilidades Psiônicas (SM): Eldenser utiliza poderes psiônicos como um psion de 17º nível (profeta). Ele conhece os seguintes poderes (8/5/5/4/4/4/3/3/2; CD base 1d20 + modificador da habilidade chave + nível do poder): 0 – controlar sombras, detectar psionismo, entusiasmo, garras, mãos distantes, missiva, olhos de luz, pasmar; 1º – ajuste corpóreo menor, bio-reação, criar itens efêmeros, enfeitiçar pessoas, ocultar pensamentos; 2º – ajuste corpóreo, aversão, detectar pensamentos, invisibilidade, romper o elo; 3º – bio-reação melhorada, controlar som, elo mental, enfeitiçar monstros; 4º – invisibilidade amplificada, porta dimensional, psico-reação, toque dissolvente; 5º – barreira de energia, infiltrar-se em aço (veja acima), rearranjar matéria, sonda mental; 6º – anel brilhante e fatal (ver acima), desintegrar, sopro do dragão; 7º – converter energia, refugiar itens, reverter poder; 8º – corpo de sombras, manipulação da matéria.



Sobre o Autor

Ed Greenwood, como seu alter ego Elminster, é alto, barbado, desarrumado, travesso e geralmente chato – mas ele admite tudo isso livremente.

A coluna de Ed Greenwood Dragões do Norte foi publicada na Dragon Magazine 230 até a 259, detalhando duas dúzias de dragões únicos de Faêrun. Apesar de escritos na 2ª edição do Ad&d, os artigos originais evitaram largamente as regras em favor do texto descritivo, com exceção de uma ocasional magia ou item mágico. Esses artigos estão sendo reprisados numa coluna regular do site da Wizards of the Coast, com adição das estatísticas de jogo e itens mágicos e magias atualizadas para o novo D&D.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.