Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Coletânea dos Reinos
 
Refúgios Seguros, Parte Dois

Por Ed Greenwood
Tradução por Ricardo Costa.


"O que acontece se você utilizar o anel de Vangey enquanto nós estivermos aqui?" Filfaeril murmurou.

Azoun encolheu os ombros. "Só há uma maneira de descobrir —"

Filfaeril rapidamente impediu Azoun, batendo-lhes nos dedos.

" Primeiro, vamos olhar em volta", ela falou raivosa. "Se eu tiver de morrer, eu preferia que fosse de uma maneira mais interessante do que ficar observando alguém brincar com mágica como um tolo."

"Olhar em volta?", a viz do rei estava incrédula. "Olha em volta de onde?"

"No guarda-roupas, debaixo da cama, dos assentos das cadeiras, mexa no cavaleiro ou no dragão do quadro e veja o que acontece — francamente, Az! Como você viveu esse tempo todo sem o hábito checar tais lugares no caso de encontrar maridos furiosos, eu não sei!"

O Dragão Púrpura de Cormyr considerou possíveis respostas para as odiosas palavras de sua esposa por um momento ou dois, e não encontrou nenhuma delas que fossem muito satisfatórias. Depois de um momento, ele anunciou decisivamente: "eu irei checar sob a cama!"


Um refúgio seguro verdadeiro é um espaço extradimensional ou um “bolso", ligado aos Reinos por portais opacos (e geralmente invisíveis). Alguns pontos incluem o topo de um rochedo nas profundezas de uma floresta, ou entre suas árvores próximas, ou mesmo em um armário embutido ou cantinho de um quarto (talvez agora arruinado ou inteiramente derrubado, o que deixa o portal no ar) em Myth Drannor ou outro antigo povoado ou estrutura dos elfos. O bando de aventureiros conhecidos como Os Cavaleiros de Myth Drannor encontrou vários refúgios seguros quando exploravam a arruinada Myth Drannor, e eles contaram (à Elminster e a vários elfos que possuíam familiaridade com Myth Drannor no seu apogeu) que a cidade abriga centenas de refúgios seguros secretos, pequenos e escondidos, pertecentes a famílias, a comerciantes ou a indivíduos — tantos, de fato, que eles começaram a se cruzar e entrar em colapso, causando a ocorrência de magia selvagem em pequenas e imóveis áreas e a penetração planar involuntária que permitiu a vinda de saqueadores estrangeiros para espreitar a cidade e buscar presas.

Como o espaço extradimensional criado por uma magia truque da corda, um refúgio seguro é um “espaço escondido”, finito e muito pequeno. Criaturas em um refúgio seguro não podem ser detectadas ou alcançadas por magias (incluindo os de adivinhação), a menos que estas magias funcionem atravessando os planos. Refúgios seguros têm o tratamento planar idêntico ao Plano Material (os Reinos se conectam com ele), e podem ser mobiliados com materiais e preenchidos com itens (tanto mundanos quanto mágicos), trazidos do Plano Material.

A maioria dos refúgios seguros parecem simples quartos, freqüentemente iluminados por um efeito de luz contínua (ou similar a uma magia sem calor, silenciosa e que consuma pouca magia), tendo superfícies sólidas, opacas e contínuas (do tipo da criada por uma magia de muralha de energia, e geralmente tem as suas mesmas características e fraquezas), que formam as paredes, piso e teto. Estas superfícies são geralmente cobertas por carpetes, painéis de madeira (nos quais lâmpadas, tapeçarias e outras mobílias podem ser fixadas), e tinta e argamassa; algumas mesmas têm paredes interiores de pedra trabalhada ao longo das “paredes” mágicas.

A maioria dos refúgios seguros tem um portal de entrada e saída do tamanho de uma criatura apenas, embora vários tenham chaves de portais (geralmente itens de acionamento, palavras de comando, ou situações que envolvem a lua ou a conjuração de magias) que “trancam” o portal principal, e revelam ou abrem saídas ou entradas alternativas, outrora escondidas.

Sons, mísseis e magias não passam entre um refúgio seguro e suas redondezas imediatas no Plano Material, diferentemente do espaço extradimensional associado a um buraco portátil, o ar passa através de um refúgio seguro continuamente, provendo-o infinitamente de ar fresco o seu interior, vindo de e para as ligações invisíveis com o Plano Material, em lugares que o criador do refúgio seguro previamente havia conjurado algumas magias particulares, e em seguida arremessado uma pedra encantada no ar.

Quando estas pedras recuperadas são mais tarde levadas à localização do refúgio secreto pelo seu criador e uma série de magias são invocadas nela, os portais de passagem de ar invisíveis do tamanho das pedras vêm à existência do lado de Faerûn, nos pontos mais altos dos arcos que as pedras atiradas seguiram quando arremessadas, e eles se conectam ao interior do refúgio seguro. A parede do refúgio seguro influencia a temperatura e a umidade no seu interior, criando correntes de convecção e desequilíbrios de temperatura que encorajam a existência de passagens de ar (um refúgio seguro sem portais de passagem de ar em breve poderam deformar e finalmente entrar em colapso).

Um refúgio seguro geralmente pode abrigar mais de uma dezena de criaturas, mas é construído para o uso confortável de cerca de quatro, em sua maioria. Muitos refúgios seguros começam como lugar para cuidar de bebês chorões, para se namorar longe de olhos indiscretos, ou áreas de estudo (conjurar magias de batalha ou experimentais em um refúgio seguro pode ser desastroso), mas em breve se convertem em um depósito: lugar para armazenar algo quebrado, presentes ou contrabando a ser escondido até um momento oportuno ou para se deixar quinquilharias quando não tiver mais espaço para se guardar as coisas.

Iremos até a nossa próxima coluna, onde o Rei Azoun irá procurar o refúgio seguro bom o suficiente para satisfazer Filfaeril. Em retorno, nos iremos cobrir nosso olhar nestes esconderijos – e ver também quais serão os próximos acontecimentos que se abaterão sobre o nosso casal real.



Sobre o Autor

Ed Greenwood é o homem que lançou os Reinos Esquecidos em um mundo que não os esperava. Ele trabalha em bibliotecas, escreve fantasia, ficção científica, terror, mistério e até estórias de romance (às vezes coloca tudo isto em um mesmo livro), mas está ainda mais feliz escrevendo Conhecimento dos Reinos, Conhecimento dos Reinos e mais Conhecimento dos Reinos. Ainda existem alguns quartos em sua casa com espaço para empilhar seus escritos.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.