Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Coletânea dos Reinos
 
Visitas de Estado em Cormyr, Parte Um

Por Ed Greenwood
Tradução por Ricardo Costa e Daniel Bartolomei.


O Rei e a Rainha de Cormyr encontravam-se agora de pé na escuridão — uma escuridão cheia de poeiras e teias de aranha.

Uma escuridão total, cheia de poeira, teia de aranha.

Azoun retirou sua adaga e desejou que ela brilhasse apenas um pouco mais rápido do que Filfaeril colocou os seus dedos na jóia que usava no pescoço com a mesma intenção.

Um momento depois, eles permaneceram juntos no coração da suave iluminação conjunta dos dois encantos.

Estavam em uma passagem de pedra estreita e coberta de poeira. Pela aparência das paredes, o lugar pertencia a uma larga e grandiosa mansão ou mostrava uma parede maciça de um castelo. Pelo seu estado, eles já sabiam que a passagem não possuía um uso freqüente.

Filfaeril rapidamente usou as pontas dos dedos e as colocou para tapar suas narinas, evitando qualquer espirro, batendo no ombro de Azoun para que ele a visse e fizesse o mesmo.

Algo repousava no chão a apenas um passo a frente deles — um fragmento de um pergaminho com algo escrito.

Depois de lançar uma rápida olhadela para o teto para se assegurar que nada esperava para cair sobre ele, Azoun inclinou-se e pegou o pedaço de pergaminho.

“Um mapa do tesouro?”, Filfaeril perguntou esperançosa.

“Não fomos tão sortudos, amor”, Azoun respondeu, franzindo o rosto. “’Isso é um... esboço, suponho, de uma visita de estado a nossa corte. Ou, melhor — isto é um tratado de um cortesão para treinamento, escrito para dizer aos atendentes e pajens sob suas ordens todos os passos que não devem esquecer nesta ocasião.”

Filfaeril estendeu uma mão urgente. Azoun segurou o pergaminho, virando-o para se certificar que não havia nada escrito na parte de traz e disse:

“Então nós devemos estar em algum lugar de Cormyr”, ele refletiu, examinando de alto a baixo a passagem. “Eu apenas vou dar uma olhada...”

O braço que envolveu sua garganta era esguio e bem formado, mas firme. “Reis, assim como outras pessoas, olham com os olhos e não com mãos ou pés”, relembrou-lhe sua rainha, com seus lábios contra sua orelha. “Fique exatamente aqui até em terminar a leitura. E nós podemos sair para um passeio juntos. Eu não quero ficar separada de você e você não está a salvo de cometer uma bobagem quando está por conta própria”.

"Oh?" Azoun rosnou. "Não estou a salvo? E de quem é esta opinião?"

"Minha. Você não esteve a salvo de Zara Emmerask, Você não esteve a salvo de Harantra Mangual Longo, você não esteve a salvo de Jasmra Portachifre, você não esteve a salvo de Perrele Jalance, Você não esteve a salvo, que os deuses nos atormentem, de Aumarra Hiloar — de fato, Az — nem de Belara —"

“Certo, Fee, basta”, Azoun resmungou, um pouco chateado. “Eu não preciso de uma lista de arauto de minhas indiscrições ostentada diante de mim mais uma vez. Você me curou de todas aquelas meretrizes, e mais, e eu mereci tudo aquilo, mas —”

“Mas o que aconteceu o tornou mais sábio, e você ficará parado até que eu... tenha terminado. Não foi tão difícil, foi?”

“Não, minha flor brilhante”, o Rei de Cormyr respondeu, se assegurando que sua rainha não podia vê-lo revirar os olhos. “Como você diz — de forma alguma”.


O pedante texto do pergaminho lido pelos Obaskyrs foi levemente editado aqui para maior clareza e brevidade (menções a “Coroa” por toda parte se referem ao monarca regente). Ela esboça a seqüência de eventos (e preparações para eles) que envolvem uma visita de estado em Cormyr.

Uma visita de estado é uma visita pública (não as privadas, para encontros secretos, caçadas ou banquetes) de um chefe de estado ou favorecido da realeza, regente ou enviado especial (um embaixador, representantes de igreja, ou negociador para formar uma aliança de países).

1. Preparações Preliminares

As Cozinhas Reais

  1. Contate o enviado estrangeiro para saber quais são as comidas preferidas e as que devem ser evitadas.
  2. Prepare cardápios, consultando o Adegueiro, a Governanta, e o Senescal*. Conquiste a aprovação dos três mais a do Sábio Real.
  3. Remeta os cardápios de volta para mim.
  4. Solicite as provisões necessárias para as cozinhas (requer desembolso do tesouro sobre aprovação do Senescal)

Alto Lorde Marechal ou Lorde Protetor Interino do Reino

  1. Consulte o intinerário com o Mago Real
  2. Distribua responsabilidades e horários entre os elementos dos Dragões Azuis e Púrpuras e aos Magos de Guerra. Obtenha a aprovação de Vangerdahast, da Coroa ou Regente.
  3. Reporte tudo acima ao Atendente do Escudo

Mago da Corte

  1. Esboce um itinerário inicial em consulta com a Coroa (ou, em substituição a Coroa, o Sábio Real), o Atendente do Protocolo, e enviados estrangeiros relevantes.
  2. Submeta o itinerário esboçado para a aprovação de Vangerdahast(1), a Coroa ou Regente.
  3. Transmita o itinerário ao Atendente do Protocolo, o qual é responsável por notificar os Arautos da Corte.

Arautos da Corte

  1. Conceba a cerimônia em consulta com o Encarregado de Protocolo, ou Mago da Corte, e o Sábio Real. Obtenha aprovações de Vangerdahast, da Coroa, ou Regente.
  2. Contate e informe os Lordes do Rei (2) relevantes e altos clérigos sob protocolo de discrição (resultados de tais contatos devem ser reportados de volta a mim).

Mestre dos Banquetes

  1. Planeje todos os banquetes e entretenimentos pertinentes a visita sob direção do Encarregado do Protocolo. Obtenha aprovações de Vangerdahast, da Coroa, ou Regente.
  2. Encomende a criação e/ou compra de todas as bandeiras, decorações, flores e outros ornamentos. Todas as bandeiras estão sujeitas á aprovação dos Arautos da Corte.
  3. Providencie os músicos e artistas, fazendo uso privado de desembolso de recursos com a aprovação do Senescal.
  4. Informe todos os progressos e preparativos de volta a mim

Subencarregados de Protocolo

  1. Encontre com todos os nobres relevantes, guildas e especialistas no local natal do visitante (3), sob a direção do Encarregado de Protocolo.
  2. Obtenha informação sobre os gostos, antipatias, feudos, disputas legais e interesses de negócio dos visitantes, bem como seus assuntos de litígio a respeito de territórios e população.
  3. Exercite toda discrição possível nestes assuntos!

Governanta e Encarregados das Escadas (4)

  1. Tome todas as decisões necessárias referentes ao abrigo e conforto das personalidades visitantes, incluindo, mas não limitando-se a: redecoração, roupa de cama e guarda roupa; acompanhantes; tratamento de montarias, animais de estimação, companhias, conhecidos, necessidades e desejos peculiares.
  2. Consulte e comunique-se, se necessário, com o Encarregado do Escudo, enviados estrangeiros relevantes, e Subencarregados de Protocolo.
  3. Submeta todas as preparações á aprovação do Senescal e do Encarregado do Escudo.
  4. Providencie todos os desembolsos do tesouro que se fizerem necessários, sujeitos a aprovação do Senescal.
  5. Reporte todos estes arranjos de volta para mim com para elaboração resumo para reportar ao Mago da Corte.

“Devo confessar”, Azoun comentou no momento posterior, “que meus olhos começaram a arregalar quando vi o ponto em que se fala de animais de estimação e companhias. É assim que estamos nossas moedas? Eu confesso, estou conduzindo as rédeas do trono por todos estes anos sem mesmo perceber quanto espalhafato e tolice todos estes nossos cortesãos podem exibir!”.

"Está bem, querido", Filfaeril disse suavemente. "A confissão é o passo mais difícil para os reis. Agora nós podemos trabalhar em seu aperfeiçoamento. Poderia conduzir o restante da leitura?"

O Dragão Púrpura ficou vagamente púrpura. “Não”, admitiu.


Compartilhamos um pressentimento comum que a Rainha de Cormyr irá fazer seu marido ler o resto do documento imediatamente? Nós pensamos isso, mas iremos ver no próximo artigo.

Notas de Rodapé:

*Nota do tradutor: senescal era o nome dado aos antigos mordomos dos castelos e palácios.

1. Na época em que o documento foi escrito, o mago Vangerdahast era tanto o Mago da Corte quanto o Mago Real. Alaphondar era e permanece o Sábio Real. O Encarregado do Escudo é responsável pela segurança de sala por sala do Palácio. “Enviados estrangeiros relevantes” referem-se aos cortesões ligados à personalidade visitante.

2. Os Lordes do Rei são os chamados “lordes locais” de Cormyr. Por “relevante”, entenda-se que os arautos contatarão somente os lordes e altos sacerdotes dos locais que a visita deverá envolver. “Sob protocolo de discrição” significa que os arautos conferenciarão com os lordes e altos sacerdotes em termos de saber o que for preciso (dizendo-lhes o mínimo que devem aprender, não revelando tudo sobre a visita — isto para prevenir traição da parte destas pessoas ou um descuido ao falar por parte delas).

3. Os “especialistas” referidos aqui podem ser mercadores, sábios, pessoas que já habitaram um lugar estrangeiro relevante, ou que tenham um conhecimento pessoal com a personalidade visitante, bem como espiões do palácio.

4. As Encarregadas das Escadas são as superiores da (escribas para e agendadores do) Líder das Arrumadeiras de cada andar e ala do Palácio. Elas reportam a Chatelaine, mas não fazem parte de sua equipe. A Líder das Arrumadeiras, todas as outras arrumadeiras e as Páginas da Presença (ou seja, as carregadoras errantes e as arrastadoras de móveis e outras serventes que são relacionadas às salas e não à equipe que atende a realeza) fazem parte da equipe dela.



Sobre o Autor

Ed Greenwood é o homem que lançou os Reinos Esquecidos em um mundo que não os esperava. Ele trabalha em bibliotecas, escreve fantasia, ficção científica, terror, mistério e até estórias de romance (às vezes coloca tudo isto em um mesmo livro), mas está ainda mais feliz escrevendo Conhecimento dos Reinos, Conhecimento dos Reinos e mais Conhecimento dos Reinos. Ainda existem alguns quartos em sua casa com espaço para empilhar seus escritos.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.