Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Crônicas de Elminster
 
A Crença Local
Parte 6
Por Ed Greenwood
Tradução por Tiago A. Pereira (cedido gentilmente por Khal dos Reinos Esquecidos).


O Sábio do Vale das Sombras tem algo a dizer sobre muitas coisas. Apesar de ter as paginas da revista Dragon, Dungeon Adventures e da Polyhedron Newszine, o Velho Mago ainda tem mais a falar sobre os Reinos. Sem querer enfurecer o arquimago, decidimos que seria melhor dar a ele uma coluna semanal na qual vamos debater os melhores pontos.

Escute bem, jovem...



Voonlar é, acima de tudo, uma comunidade agrícola; sua crença é voltada principalmente à veneração de Chauntea. Disputando a influência local bem de perto está o credo de Cyric, que recentemente substituiu a veneração a Bane, há muito encorajada pelos Zhents.

O culto a Chauntea é praticado privadamente em muitas quintas* e campos, e também na forma de serviços prestados ao templo. As autoridades locais podem sentir-se ultrajadas pela ofensa que a presença desse culto representa ao Sol Negro, mas sabem que a comunidade voonlarana irá transformar-se numa turba irada e letal caso a Grande Mãe sofra qualquer tipo de afronta – tal como ter safras inteiras queimadas, alimentos desperdiçados, água envenenada, e solos férteis salgados ou espoliados por magia.

A cidade abriga dois templos: O Deus Negro Reformado, o templo de Cyric, é o que tem maior reconhecimento oficial. Originalmente o templo era conhecido como A Mão do Lorde Negro, uma Casa de Bane, embora tenha tido inúmeros nomes similares que variavam à medida que novos altos-sacerdotes assumiam o lugar. A Dádiva da Deusa, o templo de Chauntea, é a maior das duas igrejas.

Santuários dedicados a Lathander e Tempus erguem-se nos arredores de Voonlar, e os antigos Jardins Comunitários, situados a noroeste da cidade, abrigam um pavilhão de pedra-e-cascalho onde viajantes de outras crenças podem orar livremente. Os Jardins Comunitários são equipados com um bloco de pedra nua no formato de um altar e muitos braseiros, mas carecendo de paredes firmes ou de algum lugar para dormir, acampar durante a noite é expressamente proibido. Os habitantes locais referem-se a esse lugar como a Casa Sagrada. Ela abriga uma latrina simples e um poço profundo que comporta água fresca e cristalina do qual qualquer um pode beber livremente.

A Casa da Luz Sagrada

O santuário erguido para Lathander assemelha-se ao pavilhão de todas as crenças da Casa Sagrada, exceto por seu teto, que é formado por folhas de mica afixadas a pedras angulares, posicionadas de modo a capturar os raios róseos do sol nascente e refleti-los em todas as direções. O santuário está situado no lado oeste da Estrada do Lixão, que por sua vez encontra-se ao sul da Estalagem dos Três Elfos. A Casa da Luz Sagrada encontra-se sob os cuidados do Amável Patriarca Erngar Padroestreito (NB, humano, Clr3) e de diversos seguidores laicos. Padroestreito é bondoso, mas perspicaz, sendo capaz de prever implicações futuras até mesmo nos menores atos. Ele empenha-se secretamente em confundir as tramóias do Bron e dos cyricistas, empresta pequenas quantias em dinheiro para auxiliar lathanderitas em suas aventuras, e vende água benta e poções de cura para qualquer um a fim de arrecadar fundos para sua igreja.

Padroestreito geralmente tem à disposição alguns conjuntos de seis bebidas (poções de cura extra) engarrafadas em frascos de vidro selados com cera, vendendo-os por 1.100 PO cada. A água benta é vendida em grandes jarras de vidro por 25 PO cada e o Amável Patriarca sempre tenta ter ao menos 20 unidades à disposição.

O santuário atrai uma congregação constante de viajantes (exceto no inverno) e mais de 40 voonlaranos. Padroestreito é visitado ao menos uma vez por semana por sacerdotes de alto escalão do Senhor do Amanhecer, que lhe fornecem suprimentos frescos obtidos com o dinheiro da doação dos fiéis. Um minúsculo canteiro de ervas e especiarias, que podem ser livremente colhidas por todos, circunda o santuário. A única regra relativa ao colhimento das ervas e especiarias do santuário rege que ninguém deve retirar o último ramo, broto, fruto, ou folha. Está escrito que aquele que o fizer atrairá a ira de Lathander sobre si.

* Propriedades rústicas, com casa de habitação; fazenda (BUENO, Silveira. Minidicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: FTD).



Sobre o Autor

Ed Greenwood é o homem que lançou os Reinos Esquecidos em um mundo que não os esperava. Ele trabalha em bibliotecas, escreve fantasia, ficção científica, terror, mistério e até estórias de romance (às vezes coloca tudo isto em um mesmo livro), mas está ainda mais feliz escrevendo Conhecimento dos Reinos, Conhecimento dos Reinos e mais Conhecimento dos Reinos. Ainda existem alguns quartos em sua casa com espaço para empilhar seus escritos.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.