Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Crônicas de Elminster
 
As Trevas Abençoadas
Parte 16
Por Ed Greenwood
Tradução por Vagner de Abreu; revisado por Ricardo Costa.


O Sábio do Vale das Sombras tem algo a dizer sobre muitas coisas. Apesar de ter as paginas da revista Dragon, Dungeon Adventures e da Polyhedron Newszine, o Velho Mago ainda tem mais a falar sobre os Reinos. Sem querer enfurecer o arquimago, decidimos que seria melhor dar a ele uma coluna semanal na qual vamos debater os melhores pontos.

Escute bem, jovem...



As Mãos Negras do templo são amplamente – e justamente – temidas tanto dentro do templo quando na região de Voonlar. Os moradores há muito tempo os apelidaram de “As Mãos Sangrentas”, mas o uso dessa frase está tornando-se rapidamente perigoso, sendo encurtado para “O Sangue”. Se os Voonlarranos pudessem descobrir uma maneira – qualquer maneira – de se livrarem do Sangue, mesmo pondo fim a si mesmo para isso. Na falta disso, eles vão estimular qualquer meio de agravar a rivalidade entre eles, pelo puro prazer de vê-los espremendo gargantas uns dos outros.

Um dos Mãos Negras, Meirgin Garra-de-Vento, é magro, alto, sinistramente belo e de fala bonita.O outro, Bastabar Yulgont, possui ombros largos e é gordo, com o rosto e mãos maltratadas de um guerreiro experiente, uma voz gutural o proporciona palavras ameaçadoras, poucas e bem escolhidas, ao invés de frases rápidas e suaves.

O apelido Garra-de-Vento vem de seus venenosos olhares laterais que ele dirige para aqueles que lhe ofendem. Um eloqüente e alegre bajulador “Cortesão Natural” de Selgaunt (onde ele foi um entre os incontáveis jovens sem dinheiro, filho de uma suposta família nobre, fortemente encorajado a abandoná-la e fazer seu próprio caminho pelo mundo).

Adagas é um mestre do templo para cortesia, ritualística e da palavra escrita, um organizador e detentor dos registros onde cada linha escrita contém codificados nuances para seu próprio benefício. Ele possui uma boa memória e paciência maior ainda – e ai de quem estiver desgostoso com o fato dele ser erguer para ser o Patriarca, ou dele encontrar uma forma de manipular visitantes aventureiros ou mercadores passantes para que estes façam mal a seus inimigos. Ele encontrou dezenas de maneiras semelhantes no passado, especializando-se em incitar bêbados a bater em vítimas de sua escolha, até Gormstadd francamente lhe disse para parar com essas “in-sutilezas.”

Embora todos os considerem perigosos, ele é universalmente visitado por todos os Voonlaranos Cyricistas como essencial para o funcionamento da Reforma do Deus Negro. Os Dedos vêem a ele como já sendo o verdadeiro mestre do templo. Gormstadd confia-lhe todos os comunicados sagrados escritos – mas o observa como o proverbial falcão faminto.

Bastabar Yulgont é um rude e velho guerreiro que vai do gordo ao amargurado, um homem idoso que sabe que seus melhores anos já passaram e que sente que os jovens como Garra-de-Vento irão continuamente procurar, pelos seus meios escalar, a hierarquia e ultrapassá-lo nas posições mais altas se ele não fizer alguma coisa ousada e dramática em breve. Infelizmente, os sacerdotes da fé na Verdadeira Escuridão que tentam essas coisas ousadas e dramáticas acabam de maneira rápida e sangrenta. Por isso, Yulgont mantêm-se vigilante quanto às dissensões no interior do templo, feitos e planos tanto de Gormstadd quanto de Windtalon, de tal modo que poderá relatar aos demais ou usar as informações para, de alguma forma, para desacreditá-los ou enfraquecê-los, e aproveitar as oportunidades que o destino possa lhe trazer - como visitas de aventureiros . Se ele conseguir alguém para destruir um ou ambos de seus adversários de templo, e depois levar os Dedos raivosos para vingá-los, seria o maior presente de Cyric que ele poderia esperar.

Enquanto isto, ele insiste que ele e só ele, seja o tutor de todos os fiéis leigos e noviços aspirantes ao sacerdócio. Para eles, ele é quase gentil - esperando que alguns deles o apóiem em algum momento no futuro, quando ele finalmente avançar abertamente contra seus rivais.

Apesar de fraco em realizações mágicas, Yulgont roubou os segredos das varinhas encantadas de fogo à distância (a fonte de poder do sol pendurado no santuário) de um padre Banita moribundo, antes de entrar na fé, e mantém firme controle sobre essas coisas, exagerando a importância de suas realizações e sobre si mesmo, encobrindo seus poderes tão misteriosamente quanto possível.

A cada dia, porém, ele se sente mais velho. Algumas vezes, nos dias atuais, ele acorda de repente durante a noite, com gargalhadas se espalhando fora de seu fechado e aparafusado quarto, vinda de vívidos sonhos com o Garra-de-Vento gritando sobre o altar, sob suas mãos, enquanto ele alimenta os braseiros de vísceras dos rivais da Mão Negra para a glória de Cyric.



Sobre o Autor

Ed Greenwood é o homem que lançou os Reinos Esquecidos em um mundo que não os esperava. Ele trabalha em bibliotecas, escreve fantasia, ficção científica, terror, mistério e até estórias de romance (às vezes coloca tudo isto em um mesmo livro), mas está ainda mais feliz escrevendo Conhecimento dos Reinos, Conhecimento dos Reinos e mais Conhecimento dos Reinos. Ainda existem alguns quartos em sua casa com espaço para empilhar seus escritos.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.