Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Ganchos Para Aventuras nos Reinos Esquecidos
 
O Barco das Bruxas

Por Robert Wiese.
Traduzido por Daniel Bartolomei Vieira.


“Uma mão lava a outra” diz o ditado. É um grande clichê, mas também é uma grande verdade. Vilões, principalmente, gostam de formar alianças para cumprir objetivos comuns, ou ao menos relacionados. Estas alianças costumam ser curtas, ou podem ser apenas arranjos econômicos, mas elas sustentam ambos os lados, já que juntos eles têm maior chance de incomodar os aventureiros. Neste artigo de Ganchos Para Aventuras nos Reinos Esquecidos iremos conhecer uma situação que envolve grupos diferentes se aliando para dar trabalho aos PJs.


O rio Delimbiyr nasce nas Montanhas Inferiores e corre para o sul e para o leste, passando pela Floresta Alta, pelos Charcos Elevados e pelo Vau da Adaga para desembocar na Costa da Espada. Apesar de nas Cachoeiras Resplandecentes, próximo de Água Ruidosa, o Delimbiyr deixar de ser navegável, ele é completamente navegável de Água Ruidosa até a costa e acima das cachoeiras até quase sua nascente. Além disso, há muito comércio girando sobre suas águas, principalmente de Água Ruidosa até a costa. O transporte de bens pelo rio tem sido preferido a partir de Água Ruidosa, tanto porque a partir dali os custos são menores quanto porque os bandidos têm infestado as estradas da região. Entretanto, o rio possui seus próprios perigos. Piratas utilizando barcas operam de tempos em tempos nas águas abaixo de Água Ruidosa, onde podem se esconder entre seus ataques nos pequenos afluentes vindos dos Charcos Elevados. Estes piratas não costumam ser um grande problema; eles apenas atacam uma ou duas vezes e depois desaparecem por alguma razão.

Então, relatos chegam a Secomber e Água Ruidosa de que um novo grupo de piratas que não está roubando bens. Ao invés disso, eles obstruem o rio e exigem um pedágio para que os barcos passem. Assim que passam os dias, as duas cidades enviam forças para eliminar estes piratas, mas estes parecem possuir magia (ou sorte, ou um bom planejamento) do seu lado, já que o clima está sempre a seu favor. Alguns são capturados ou mortos, mas o grupo não pára e os capitães de barcos e barcaças ainda pagam pedágio para navegar adiante suas naus.

Em Secomber, uma comerciante chamada Sultai Orero tem sofrido muitas perdas para estes piratas, e exige que algo seja feito a respeito disso. Já que, de alguma forma, estes piratas têm escapado das autoridades regularmente, ela pensa que as autoridades não são mais confiáveis, e volta-se para os aventureiros. Ela está disposta a oferecer uma recompensa formidável – e até mesmo uma parceria com os PJs que possuírem uma inclinação para os negócios.

d100 Motivações
01-55
Sultai está genuinamente preocupada com seus negócios e realmente pretende investir nos PJs.
56-80
Sultai não está contratando os PJs de forma alguma. Uma das bruxas (veja abaixo) a personifica através de magia e contrata os PJs. As bruxas querem livrar-se de seus “parceiros” piratas e pensam que este é o melhor meio de acabar com esta relação.
81-00
Sultai quer vingança. Ela tentou fazer negócio com os piratas, mas eles se recusaram, portanto agora quer eliminá-los. Seus negócios são uma preocupação secundária no momento.

d100 Complicações
01-30
Os piratas não possuem um mago entre eles. Na verdade, eles fizeram um trato com uma convenção de bruxas que vivem nos Charcos Elevados, e estas forneceram um controle do clima como apoio, além de auxílio com outras magias e até mesmo intervenção física, em troca da metade dos lucros. As bruxas estão usando o dinheiro para algum projeto não relacionado com os piratas, e irão encontrar outros meios de conseguir dinheiro caso os piratas sejam eliminados.
31-50
As bruxas não são reais. Ao invés disso, são a criação de um grupo de fadas malignas que vivem nos Charcos Elevados. Com este subterfúgio, as fadas se protegem de serem descobertas caso os piratas sejam capturados.
51-75
Um rival de Sultai está tomando vantagem da situação e fazendo com que seus capitães paguem aos piratas para saquear as naus pertencentes à Sultai (ou aquelas que carregam mercadorias). Este rival espera tirá-la do negócio sem se envolver pessoalmente.
76-00
As naus que pagam pedágio aos piratas ainda estão sendo atacadas e destruídas de tempos em tempos. As bruxas usam ilusões, morto-vivos e até mesmo criaturas do rio para destruir os barcos que possuem o tipo de mercadoria que desejam.



Sobre o Autor

Robert Wiese é um veterano dos escritórios da RPGA onde trabalhou durante sete anos sendo um membro desde os idos de 1991. Nesse tempo ele escreveu mais de 60 enredos de aventura para o clube, alguns artigos para a revista Polyhedron, e o Living Force Campaign Guide (esse último com Morrie Mullins). Ele também desenvolveu campanhas de Living Greyhawk e Living Force junto com maravilhosos membros. Agora ele trabalha na Universidade de Nevada em Reno no departamento de Bioquímica, provando que você nunca deve dizer aonde irá terminar.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.