Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Lendas de Toril
 
Quem São os Sete Deuses Perdidos?

Pesquisado por Ivan Lira.


Pela primeira vez, na página 37 do livro Faiths & Avatars (Crenças e Avatares) da 2ª edição, foi citado a existência dos Sete Deuses Perdidos. Porém a única informação mencionada sobre eles no texto foi de que Bane, Myrkul e Bhaal destruíram um deles antes de se tornarem divindades. Após isso muitas especulações sobre essas misteriosas criaturas foram disseminadas em informações oficiais, semi-oficiais e não-oficiais sobre Forgotten Realms. Quando digo oficial me refiro a informações publicadas nos livros da TSR/Wizards, as semi-oficiais se referem a publicações de materiais como games com a autorização da empresa detentora dos direitos sobre os Reinos Esquecidos, e por último vem as não-oficiais que se referem a informações de fóruns ou outros meios pela internet que, por ventura nascem de comentários de escritores.

Para podermos encontrar pistas de como identificar os Sete Deuses Perdidos voltemos num passado distante onde ainda existia o império de Netheril. Nesta época haviam vários panteões divinos, sendo que dentre os humanos os panteões Netherese, Jhaamdathan, Mulhorandi, Talfírico, Coramshita e Untherico foram os principais. Antes do trio Bane, Myrkul e Bhaal ascenderem à condição divina num jogo com o deus Jergal eles espalharam o terror sobre Faerûn em busca de poder, pois já almejavam serem deuses. Talvez os Sete Deuses Perdidos não pertencessem a nenhum desses panteões famosos, mas com certeza eles foram venerados nas regiões centrais de Faerûn onde o trio maligno percorreu.

A Linha de Tempo de Portão Ocidental (Você poderá baixar nesta página), um material suplementar do livro acessório Cloak & Dagger (Manto & Adaga), revelou em seu conteúdo algumas informações intrigantes. Na descrição do ano de 927 CV é revelado que sete anéis de rocha foram posicionados ao longo de sete pequenos morros que se localizavam além da última colina a oeste da cidade. Num destes anéis ficava a Colina das Presas, e nele havia um santuário ocupado por adoradores da divindade Moander. Este dado foi confirmado pelo romance Azure Bonds. Nos outros anéis ficavam santuários dos deuses Garagos, Ghaunadaur, Jergal, Savras, Silvanus e de um nome esquecido. Sem o conhecimento da população de Portão Ocidental foram criados templos subterrâneos secretos abaixo destes sete morros. Na descrição do ano de 1018 CV é citado que os sete morros ficaram conhecidos por Santuários dos Sete Deuses Perdidos, mas que curiosamente o termo Sete Deuses Perdidos era uma raiz da antiguidade. Pois se referia a sete semideuses que foram venerados antes de Bane há muito tempo atrás: Maram da Grande Lança, Haask a Voz de Hargut, Tyranthraxus o Único Flamejante, Borem do Lago da Lama Fervente, Canmod o Invisível, e dois outros nomes que ficaram no esquecimento. O diário do jogo de computador Pool of Radiance também confirma a existência destas cinco divindades.

Para podermos determinar quem são estas misteriosas figuras vamos pegar alguns fatos e fazer comparações. No livro Crenças e Panteões, especificamente na página 169, há o seguinte texto:

Naqueles dias, nós três buscávamos o poder, o prestígio e a continuidade eterna.
Os planos se abriram para nós e nos revelaram seus terríveis segredos.
Nos campos da fétida Rezamark, no Lago da Lama Fervente, nós abandonamos a mortalidade.
Borem, o patrono da fúria, não mais respira.
Seu coração indestrutível está enterrado nessa rocha esquecida, onde deve descansar por toda eternidade.
Nós o guardamos para sempre.

Estas palavras estão inscritas num antigo menir localizado na Ilha Mezeketh. Com certeza o texto se refere ao fato de que foram Bane, Myrkul e Bhaal que derrotaram Borem e assim deixaram de serem mortais. De alguma forma o trio conseguiu a Adaga de Jathimah, um antigo artefato de Netheril, e com ela a atravessaram no coração de Borem derrotando-o. Existe uma lenda de que se esta adaga for retirada Borem poderá retornar. É provável que Bane tenha adquirido o aspecto do Ódio com a essência de Borem que tinha como aspecto a Fúria. Portanto se Borem fora a divindade morta pelo trio, então isto confirma que Borem é um dos Sete Deuses Perdidos. E se seu nome está entre os já citados Maram da Grande Lança, Haask a Voz de Hargut, Tyranthraxus o Único Flamejante e Canmod o Invisível, isso também confirma que eles são cinco dos sete deuses. Neste caso ficam faltando apenas dois para que o mistério seja sanado.

Segundo a descrição da linha de tempo de Portão Ocidental, os Sete Deuses Perdidos foram semideuses adorados antes de Bane. Nesta época haviam vários panteões de deuses humanos, contudo de acordo com a localização do menir onde o coração de Borem fora guardado, se evidencia que ele pertencia ao panteão de Jhaamdath. Se supormos que Borem era um semideus deste panteão então há a possibilidade de se encontrar as duas últimas divindades perdidas. Jhaamdath era uma confederação de vinte cidades que ficava ao norte da Floresta de Chondal, eles eram governados por um psiocrata. A existência do panteão jhaamdathan é citada no início do livro Crenças e Panteões e foi bastante discutida em fóruns como o do Candlekeep (do qual faz parte o escritor Eric L. Boyd) e o da Wizards of the Coast. Para continuarmos, devemos nos lembrar de que o termo “Perdidos” dos Sete Deuses provavelmente se refere ao fato que a existência deles fora esquecida pelos povos de Faerûn, ou pelo menos quase extinta. Deste modo poderemos destacar os candidatos que poderão ser os dois últimos dos sete deuses. Dos supostos deuses do panteão jhaamdathan, três deles foram esquecidos de modo que seus nomes não são mencionados. Eles são:

Auppenser: Esta divindade era conhecida também como Mestre da Arte de Invisibilidade, e Lorde da Razão. Ele era o deus do pensamento, razão, auto-conhecimento e serenidade, embora seus aspectos sejam mesmo o Esclarecimento, Psiônicos e Serenidade. Após a destruição de Jhaamdath a crença em Auppenser se enfraqueceu de modo que seu nome desapareceu pelos séculos.

Murdane: Morta indiretamente por Lathander durante o evento do Cataclismo da Aurora, Murdane era amante de Helm e tinha como aspectos a Razão e o Pragmatismo. (Por que será que Murdane teria o aspecto da Razão que é tão próximo a Auppenser?)

Valigan: Que também é chamado de Valigan, o Terceiro (Por que o Terceiro? Seria o Terceiro Deus dos Sete?), era uma divindade menor que representava a anarquia. Ele foi morto pelo exército de Tyr durante um ataque a Jhaamdath que estava tomada por bandidos e mercenários. (Não seriam Bane, Bhaal e Myrkul três antigos jhaamdathanos?)

Com estas últimas informações não é possível afirmar com certeza quem seriam os dois últimos dos Sete Deuses Perdidos, mas percebe-se que Auppenser, Murdane e Valigan são candidatos fortes. Assim conseguimos resolver pelo menos parte do mistério que poderia até mudar de nome como “Os Dois Últimos Deuses Perdidos”. Esperamos que Eric L. Boyd (escritor dos livros Faiths & Avatars, Faiths and Pantheons e Cloak & Dagger) possa nos tirar esta dúvida no futuro.



Fontes

Os livros Faiths & Avatars, Faiths & Pantheons, a Linha de Tempo de Portão Ocidental e os fóruns do Candlekeep e da Wizards.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.