Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Notas de Romance
 
A Trilogia do Avatar: Os Deuses Caminham Sobre Toril
Por Thomas M. Costa
Traduzido por Priscila Veduatto, revisado por Daniel Bartolomei Vieira.



O ano de 1358 CV, o Ano das Sombras e do Tempo das Perturbações, também conhecida como a Guerra dos Deuses, a Crise dos Avatares, ou quando os deuses caminharam sobre Toril, foi a era mais destrutiva e desorganizada na recente história de Faerûn. Enquanto a Trilogia do Avatar (Shadowdale [Vale das Sombras], Tantras [Tantras], e Waterdeep [Águas Profundas]) segue a busca de quatro heróis mortais e envolve diretamente um punhado dos deuses de Faerûn, o poder de um deus começando a ser notado e outros romances dos Reinos Esquecidos e suplementos de jogo revelaram o andamento de muitos outros poderes. Alguns destes deuses morreram e estão enfraquecendo lentamente em recordações, outros descarregaram destruição, e outros ainda continuam servindo como proteções divinas contra os poderes e as magia errôneas de seus companheiros.

Panteão Faerûniano

O panteão Faerûniano esteve mais proximamente envolvido no Tempo das Perturbações, com seus membros diretamente responsáveis pelos eventos, conduzindo e terminando a crise.

Azuth: O Lorde da Magia passou muito tempo cuidando de parte do poder de Mystra e guardando a estátua dela no Poço de Yeven, no Vale da Batalha.

Bane: Lorde Bane chegou primeiro ao Forte Zhentil, mas continuou adiante para viajar através da parte lesta das Terras Centrais nos Reinos na sua busca pelas Tábuas do Destino.

Bhaal: Bhaal teve sua primeira aparição como uma força que poderia possuir humanos em Estrela Vespertina, Cormyr, onde ele deu início à diversão com assassinatos e destruição. Ele também viajou para terras distantes durante a Crise dos Avatares.

Eldath e Mielikki: Eldath apareceu com Mielikki no Norte entre os ramos da Floresta das Brumas, onde juntos eles trabalharam para evitar que seus seguidores pecassem.

Garagos: Garagos amotinou-se no porto do Portão Ocidental antes de vagar pelo Mar das Estrelas Cadentes, deixando um porto vermelho como sangue após seu despertar.

Gond: O Arauto das Maravilhas caiu em Toril como um gnomo na costa de Lantan. Em gratidão pelo abrigo, ele ensinou aos Lantaneses os segredos da pólvora.

Gwaeron Windstrom e Shiallia: Seguindo sua derrota nas garras de Nobanion, Malar, o Lorde das Bestas, foi implacavelmente perseguido por todo o Norte por Gwaeron e não pôde tirar o Mestre Rastreador da sua trilha. Shialla se aliou a Gwaeron Windstrom, reparando os danos do alvoroço destrutivo de Malar.

Helm: O Vigilante foi o único Deus que não perdeu seu poder divino e foi incumbido de guardar a Escadaria Celestial, um portal que leva ao domínio do outro mundo dos deuses, dos seus irmãos.

Hoar: Hoar espreitou o Velho Império, aparecendo em Akanax, onde ele tomou o corpo do Rei Hippartes como seu avatar. Então, ele reapareceu em Thay para obter o esconderijo das armas, e apareceu em Unther, onde ele assassinou seu antigo rival, Ramman, o deus da guerra Untherica.

Ibrandul: Ibrandul, deus das cavernas, foi assassinado no Subterrâneo, sob Águas Profundas por Shar, em segredo, e seu aspecto foi roubado.

Iyachtu Xvim: O avatar do deus Iyachtu Xvim, meio-demônio cria de Bane, foi aprisionado sob o Forte Zhentil.

Lliira e Waukeen: A Deusa dos Prazeres conheceu Waukeen próximo ao Vale das Sombras. Daí fizeram uma jornada pela Escadaria Celestial. Ameaçadas por Helm, as duas se retiraram para Cormanthor para planos futuros. Lá Waukeen usou seus contatos divinos para escapar dos Planos Exteriores, deixando o que restou da sua divindade aos cuidados de Lliira. Waukeen viajou primeiramente através do Plano Astral e então ao Abismo, onde ela foi traída e capturada pelo Lorde Demônio Graz’zt. Levou mais de uma década até que a Amiga dos Mercadores fosse resgatada do Palácio Argênteo.

Loviatar: Acreditava-se que A Deusa da Dor estivesse em Águas Profundas.

Malar: Malar lutou contra Nobanion na Floresta Gulthmere antes de fugir para o Norte, onde foi caçado por Gwaeron Windstrom.

Mask: Mask passou seu tempo viajando secretamente pelo interior de Faerûn, disfarçado.

Mielikki: Ver Eldath acima.

Milil: Milil viajou até a Casa Arbalest em Athkatala, capital de Amn, onde ele fundou pessoalmente um círculo de canto e encarregou seus fiéis de construir um novo templo.

Moander: O avatar da escuridão estava presumivelmente no Vale Perdido de Tarkhaldale, um local na Terra dos Vales abandonado Há muito tempo. Lá ele reconstruiu sua força a partir de eventos envolvendo os heróis Alias e o sáurio Isca de Dragão. Logo depois do Tempo das Perturbações, Moander foi destruído por heróis mortais liderados por Finder Aguilhão de Wyvern, que se apoderou do aspecto de Moander.

Myrkul: Myrkul passou muito de seu tempo tramando em Águas Profundas.

Mystra: O poder de Mystra se espalhou entre seus fiéis escolhidos antes que ela fosse capturada por Bane no Castelo Kilgrave, no norte de Cormyr. Depois de escapar, ela viajou até a Escadaria Celestial, onde desafiou Helm.

Nobanion: Em um combate titânico conhecido como o Rugir das Sombras, Nobanion e um grupo de druidas do Conclave Esmeralda perseguiram Malar até o norte e oeste da Floresta Gulthmere, ao longo da Costa do Dragão. Logo após, Lorde Juba de Fogo surgiu de Gulthmere para vagar pelas Planícies Brilhantes.

Cavaleiro Vermelho: O Cavaleiro Vermelho apareceu no noroeste de Tethyr, onde ela ajudou aquela nação derrotar os monstros que invadiam vindos de Wealdath.

Savras: Há muito tempo atrás aprisionado no Cetro de Savras por Azuth, Savras permaneceu assim durante o Tempo das Perturbações. Seguindo aquela crise, Azuth concordou em libertar Savras em troca de seu juramento de lealdade.

Selûne e Shar: Shar e Selûne lutaram outra rodada de sua antiga batalha, dessa vez como mortais em Águas Profundas. Shar também secretamente matou Ibrandul sob Águas Profundas e roubou seu aspecto.

Shar: Ver Selûne acima.

Sharess: Sharess roubou a forma da concubina favorita do paxá de Calimporto e foi liberada da crescente influência de Shar por Sune.

Shaundakul: Shaundakul vagou pelas ruínas de Myth Drannor, onde ele lutou e destruiu o avatar de uma divindade menor orc.

Shiallia: Ver Gwaeron Windstrom acima.

Siamorphe: Siamorphe manifestou-se na mansão de uma dama de Águas Profundas e protegeu o Distrito Norte e o Distrito do Mar daquela grande cidade dos enormes danos causados pela Guerra dos Deuses.

Silvanus: Existem relatos de Silvanus ter sido visto no Bosque do Inverno e na Floresta Chondal, ambos na Orla de Vilhon.

Sseth: O avatar de Sseth, deus do povo serpente yuan-ti, apareceu nas Selvas Negras na forma de uma serpente gigante, alada e usuária de magia, onde ele desafiou seu clero a reconstruir sua força. Ele também lutou contra Ubtao para que se retirasse da margem leste de Chult. O Lorde do Mau Mulhorandi, Set, assassinou Sseth e absorveu seu aspecto.

Sune: Sune resgatou Sharess das garras malignas de Shar, mergulhando Sharess nas águas sagradas de Ouro Eterno antes de chegar em Tezir, na Costa do Dragão.

Talona: Talona apareceu para um mago humano maligno chamado Aballistes, dotando-o com a receita para a poderosa Maldição do Caos, e incumbiu-o de encontrar uma ordem tríade de magos, clérigos e guerreiros na tão falada montanha-forte do Castelo da Trindade.

Talos: Talos, o Furioso, passou seu tempo em Tsurlagol, na Vastidão.

Tempus: Tempus chegou no paiol de um castelo destruído no Vale da Batalha, antes de se mudar para o campo de batalha no Riacho das Espadas no Vale da Névoa.

Torm: Torm descobriu um grande mau sendo feito em seu nome na cidade de Tantras, na Vastidão. Lá ele viajou para retificar este erro e proteger aquela cidade.

Tymora: Tymora apareceu no seu templo em Arabel, em Cormyr, e se pensou que sua presença lá poupou a cidade de muita destruição.

Ubtao: Ubtao perseguiu o comprimento e a largura de Chult na forma de um tiranossauro, onde ele lutou para expulsar Ssseth, a Grande Serpente, na borda leste de Chult.

Ulutiu: Eras atrás, Ulutiu afundou no profundo Oceano Gelado, fazendo-o congelar e se tornar a Grande Geleira. Lá ele hiberna desde então, incluindo o Tempo das Perturbações.

Umberlee: A Rainha Cadela passou o Tempo das Perturbações no Mar das Estrelas Cadentes espalhando destruição de uma ilha pirata a outra. Ela também apareceu o Mar sem Rastros, na costa de Trisk, próxima às Rochas Púrpuras, onde se acredita que ela se encontrou com seu guardião, um poderoso kraken.

Waukeen: Ver Lliira acima.

Os locais onde estiveram vários poderes Faerûnianos permanecem desconhecidos, embora alguns poderes possam ser deduzidos, incluindo Akadi, Auril, Beshaba, Chauntea, Deneir, Eshowdow (desde que foi morto), Gargauth, Grumbar, Ilmater, Istishia, Kossuth, Lathander, Leira (desde que foi morta), Lurue, Oghma, Tyr, Uthgar e Valkur. Da mesma maneira, o semi-deus Jergal é misteriosamente dito não ter participado do Tempo das Perturbações. Além disso, alguns poucos deuses ainda não se tornaram divindades, incluindo Finder Aguilhão de Wyvern e Velsharoon.

Panteão Mulhorandi

Antes da Guerra dos Deuses, a antiga nação de Mulhorand era regida pelas encarnações e manifestações dos seus deuses. O Tempo das Perturbações mudou isto, enviando os deuses Mulhorandi aos Planos Exteriores, mas também trazendo uma nova era de ativismo para o panteão. O local onde a maioria dos deuses Mulhorandi esteve durante este tempo incluindo Hathor, Isis, Nephthys, Osiris, Sebek, Set e Thoth, permanece desconhecido – embora a maioria deles provavelmente estivessem localizados no próprio antigo império.

Anhur: Anhur distingue-se durante a Guerra dos Deuses pela batalha contra o avatar de Sekolah, a grande divindade tubarão branco dos sahuagin, que vagou pelo Mar Alamber. Ele também clamou o aspecto do deus da guerra Untherica, Ramman, de seu assassino, Hoar.

Geb: Geb liderou um exército dos seus mais fiéis seguidores a construir um templo secreto conhecido como a Forja Dourada, nas profundezas do vulcão na ilha conhecida como o Navio dos Deuses, onde ele lutou para evitar que o vulcão explodisse até esse dia.

Horus-Re: Horus-Re regeu Mulhorand através da sua manifestação no Faraó Horustep III, no capitólio de Skuld. O fim da Crise dos Avatares removeu aquela divindade de Horustep, deixando-o apenas como um mortal de linhagem divina.

Panteão Untherico

Depois de milênios de tirania e de um regimento equivocado por parte de Gilgeam, o que restou do panteão Unterica teve seu fim durante a Guerra dos Deuses.

Gilgeam e Tiamat: Gilgeam, o deus-rei de Unther, foi morto pela sua rival Tiamat em Unthalass, pondo um fim em seu reinado de dois mil anos sobre aquela nação e declarando o fim do panteão Untherico. Tiamat, então, se uniu ao dissimulado panteão Faerûniano.

Ramman: Ramman, o deus Untherica da Guerra, foi morto por seu antigo rival Hoar, mas conseguiu evitar que seu assassino lhe roubasse seu aspecto, passando-o, então, para Anhur do panteão Mulhorandi.

Poderes Não Humanos

Muitos poucos locais onde estavam os deuses não humanos foram revelados. Os poucos que foram revelados são listados a seguir.

Clangeddin Barba de Prata e Labelas Enoreth: Clangeddin Barba de Prata, na forma de três anões moldados em um elemental da terra gigante, combateu Labelas Enoreth, que havia possuído o corpo de seu clérigo Vartan Hai Sylvar para usá-lo como seu avatar, por causa de um mal-entendido sobre a ilha de Ruathym. A batalha resultou na destruição do avatar de Clangeddin.

Duerra das Profundezas: O avatar de Duerra apareceu em Pináculos Subterrâneos, uma cidade duergar abaixo das Montanhas Osraun, ao norte de Turmish, na forma da Rainha Mãe, que serviu como regente da cidade até que o jovem rei tivesse atingido sua maturidade. Sob a liderança da deusa, o exército da cidade expandiu as propriedades de Pináculo Subterrâneo, antes que ela desaparecesse nas porções mais ao sul do Subterrâneo.

Ilsensine: O Lorde dos Tentáculos dos devoradores de mente se manifestou na cidade de Oryndoll, quilômetros abaixo das Planícies Brilhantes, a oeste da Orla de Vilhon, adotando o cérebro ancião de Oryndoll como sua forma avatar.

Lolth: A Rainha Aranha apareceu na grande cidade de Menzoberranzan, lar do renegado Drizzt Do’Urden, onde ela supostamente matou uma divindade menor drow do assassinato e usurpou seu aspecto.

Segojan Convocador da Terra e Urdlen: É dito que Escudo Rígido foi visto perto do local de uma grande batalha entre avatares e servos do Lorde dos Refúgios, Segojan, e o Rastejador das Profundezas, Urdlen.

Sekolah: A grande divindade tubarão branco dos sahuagin lutou contra Anhur na costa de Mulhorand, no Mar Alamber.

Selvetarm: Selvetarm amotinou-se na cidade drow de Eryndlyn, localizada nas cavernas escondidas abaixo do Pântano Alto, atacando os fortes dos seguidores de Ghaunadaur e Vhaeraun. O avatar foi eventualmente conduzido para o selvagem Subterrâneo por uma aliança de cultos vitimados por ele.

Para Aqueles Que LERAM a Trilogia do Avatar

Se você já leu a trilogia, você não irá encontrar nenhum spoiler a seguir. Entretanto, aqueles que ainda não leram as séries, por favor, só leiam o seguinte DEPOIS de terem terminado de ler os romances, a menos que não se importem com spoilers!

Arte por Oliver Borges
Ao
(Imagem exclusiva)

Ao: Lorde Ao, o Todo Poderoso, o Escondido, foi responsável por lançar os deuses em Faerûn. Ele apareceu apenas brevemente em lugares extradimensionais e esconderijos, como o Vazio de Chamas e a Torre de Elminster, antes de finalmente aparecer no fim da Crise dos Avatares no Monte Águas Profundas.

Bane: Bane futuramente viajou para o Castelo Kilgrave, para o Vale das Sombras, para o Vale da Cicatriz e para Tantras, onde foi morto na batalha contra Torm.

Bhaal: Bhaal viajou para o oeste, até o Alto Chifre, concordou em ajudar Myrkul a seguir a morte de bane pelas mãos de Torm, e foi morto por Cyric, que empunhava a espada Ruína dos Deuses (a espada era secretamente o avatar de Mask) na Ponte Boareskyr, onde seus restos mortais envenenaram as águas do rio Sinuoso até os dias de hoje.

Cyric, Kelemvor e Meia-Noite: Juntamente com Adon, clérigo de Sune, Cyric, Kelemvor e Meia-Noite foram os heróis (e vilão) da Crise dos Avatares, e viajaram através das terras dos Reinos Esquecidos. Como recompensa pelos seus atos, Cyric e Mystra foram elevados a deuses por Ao. Eventualmente, Kelemvor, que havia sido morto por Cyric foi libertado da Ruína dos Deuses, a espada na forma do avatar de Mask, e foi elevado à divindade também.

Mask: O Mestre de Todos os Ladrões disfarçou-se como uma espada mágica sugadora de almas, a Ruína dos Deuses, a lâmina que foi empunhada por Cyric durante o Tempo das Perturbações e usada para matar tanto Bhaal quanto Kelemvor. A tática de Mask, entretanto, voltou, em parte, para si mesmo, já que Cyric roubou muito de seu poder, até adquirir o seu aspecto divino.

Myrkul: Myrkul foi destruído no topo do Monte Águas Profundas por Meia-Noite, que estava potencializada com a essência de Mystra.

Mystra: Mystra foi destruída por Helm por desafiá-lo na Escadaria Celestial. Seu poder renasceu na sua serva Meia-Noite, que tomou o manto e o nome da deusa.

Torm: Torm permaneceu fiel aos seus deveres. Ele defendeu a cidade de Tantras de Bane e morreu em batalha contra o Lorde Negro. Entretanto, por ter sido fiel ao seu próprio comportamento, Ao ressuscitou-o como divindade no fim da Crise dos Avatares.

Para mais informação sobre o Tempo das Perturbações e os deuses de Faerûn, leia os romances da Trilogia do Avatar, incluindo Shadowdale (Vale das Sombras) por Scorr Ciencin, Tantras (Tantras) por Jim Lowder e Waterdeep (Águas Profundas) por Troy Denning, e confira o livro Crenças e Panteões por Eric L. Boyd e Erik Mona (um breve olhar sobre algumas das divindades menos proeminantes de Faerûn por Thomas E. Rinschler pode ser encontrado no suplemento web do Cenário de Campanha dos Reinos Esquecidos, o Mais Divindades).

Agradecimentos: Para Ed Greenwood, Julia Martin, Eric L. Boyd, Thomas E. Rinschler, Erik Mona e todos aqueles que tomaram parte em tirar os deuses dos Reinos da escuridão e dos planos exteriores e trazê-los para a luz do sol de Toril.



Sobre o autor

Thomas M. Costa é um membro profissional do comitê na U.S. House of Representatives. Ele tem contribuído em muitos produtos da Wizards of the Coast como Demihuman Deities (Divindades Humanóides) e Races of Faerûn (Raças de Faerûn), e é o autor ou co-autor de um número de Dragon Magazine e artigos do website da Wizards of the Coast.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.