Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Notas de Romance
 
Twiligth Falling: As Igrejas e os Ladrões de Selgaunt

Por Thomas M. Costa
Traduzido por Catana Amoedo Peres.



Erevis Cale, o impressionante mordomo das Torres da Tempestade e um conhecido fora-da-lei, é o herói de uma nova trilogia de livros que começa com Twilight Falling por Paul S. Kemp. Agora ladino e clérigo, o destino de Cale parece interligado com as várias guildas e igrejas que operam dentro da cidade de Selgaunt. Dê uma olhada em um breve resumo sobre cada organização e igreja.

A Igreja de Bane: Desaparecido e dado como morto durante quatorze anos, Bane, a divindade maligna do ódio, tirania e medo, recentemente renasceu e consolidou seu poder mais uma vez. Os seguidores de Bane são bem organizados, bem equipados, composto por pessoas que entendem a necessidade da ordem e que gostam de machucar aqueles que são mais fracos do que eles. A igreja está sediada no Forte Zhentil ao norte e é liderado por Fzoul Chembryl, escolhido de Bane. Do seu posto de escolhido, Chembryl trabalha para converter toda Faerûn à glória de Bane e destruir aqueles que não se convertem.

Antes da aparente morte de Bane durante a guerra dos deuses quatorze anos atrás, sua igreja estava firmemente consolidada na poderosa estrutura dos Zhentarim. Em sua ausência, o deus louco Cyric preencheu esse vácuo. Entretanto, agora que Bane voltou, sua fé não apenas retomou sua posição entre a liderança Zhentarim, mas também a dominou, assim como toda a cidade do Forte Zhentil. A igreja agora está expulsando os seguidores de Cyric dos Zhentarim e trabalhando para trazer de volta dos antigos membros.

A Igreja de Brandobaris: A Igreja dos Desventurados, como a “organização” religiosa de Brandobaris é conhecida, é composta por aventureiros que geralmente voltam de suas aventuras melhores do que quando entraram.Brandobaris é o deus halfling da furtividade, roubo, aventura e dos ladinos, e ele é o patrono do melhor amigo de Cale, o irresponsável Jak Fleet. Mão dos Desventurados, como são conhecidos os clérigos de Brandobaris, enfrentam dificuldades, perseguições perigosas assim como aventuras, e eles sempre valorizam mais a história de um sucesso alcançado do que tesouros físicos, como sucesso que as aventuras trazem. A Igreja dos Desventurados não possui templos – na verdade, em qualquer lugar que uma história sobre a coragem de Bradobaris é contada, o culto está em seção.

A Igreja de Cyric: Cyric, o Sol Negro, é o deus do assassinato, mentiras, intrigas, conflitos, decepção e ilusão. Ele é o caótico Príncipe das Mentiras, e enlouqueceu através de suas próprias maquinações. Sua igreja é uma organização fanática composta por assassinos, mentirosos, espiões, traidores e por todo aquele sedento de poder individual, devotado à sua divindade perversa, a eles mesmos e a mais ninguém. Seus seguidores desejam destruir todos aqueles que se opõe a Cyric, eliminar igrejas rivais, matar aqueles que devotados ao bem, e dominar o mundo. Normalmente seus membros agem individualmente ou em grupos pequenos, com pouco ou nenhum conhecimento um dos outros. Ainda assim, a igreja tem centros proeminentes, particularmente ao sudoeste de Amn.

Cyric era um mortal criminoso que se tornou um deus no Tempo das Perturbações quatorze anos atrás, ficando no lugar de três deuses do mal, Bane, Bhaal e Myrkul, e depois de um quarto, Leira. O poder era muito mesmo para o próprio Cyric controlar, entretanto, alguns anos depois, ele perdeu o reino dos mortos para Kelemvor, ódio e tirania para o renascido Bane, e o poder sobre os mortos- vivos para Velsharoon. Conforme o poder dele crescia, Cyric rapidamente controlou os seguidores de Bane entre os Zhentarim e aumentou sua religião em toda Faerûn. Com o renascimento de Bane, a desorganizada igreja de Cyric perdeu o seu poder na Rede Negra e seus seguidores estão sendo perseguidos a leste das terras centrais pelos tiranos de Bane.

A Igreja de Deneir: O Senhor de Todos os Símbolos e Imagens é o patrono dos artistas, dos iluminados, dos cartógrafos e dos escribas. Ele vê toda criação escrita e constantemente procura o Metatexto, uma única palavra escrita que quando lida irá destrancar todos os segredos do multiverso. Todo texto inclui uma palavra aqui, uma justaposição de letras ali, e raramente uma sentença inteira que ecoa um trabalho ideal. Os seguidores de Deneir procuram o mesmo esclarecimento e freqüentemente podem ser encontrados preservando conhecimento escrito ou ensinando a escrita para outros. O seu maior clérigo é Cadderly de Espírito Sublime no oeste; entretanto, Selgaunt é a casa de uma bem estabelecida igreja de Deneir.

A Igreja de Mask: Muitas pessoas de fora vêem a igreja de Mask um pouco mais do que uma organizada guilda de ladinos sobre um disfarce de religião – uma surpreendente descrição acurada, para Mask, o Senhor das Sombras, que é o deus dos ladrões. Conseqüentemente, a igreja de Mask é uma das mais ricas de Faerûn, e ela usa sua riqueza para comprar influência e poder. O mais expressivo centro de ação do Senhor das Sombras está na cidade mercante de Telflamm no Oriente Inacessível de Faerûn. Apesar disso, a igreja é apenas um pedaço de uma rede de operadores independentes, templos individuais e organização regional. Essa estrutura faz com que muitos seguidores procurem seu próprio meio de servir ao Mestre de Todos os Ladrões. Mask é o deus patrono de Cale e do cruel Drasek Riven.

Os Harpistas: Essa organização secreta é uma raridade entre as sociedades: ela serve as forças do bem. Os Harpistas acreditam no poder dos indivíduos, no balanço entre a natureza e a civilização, e o bem do ser humano e das criaturas aliadas. Eles preservam histórias antigas para que outros possam se lembrar de suas lições para lidar com o presente.

A sociedade está ativa nas Terras Centrais de Faerûn, mas lhe falta uma base central, embora a cidade de Berdusk, a oeste de Sembia, e a partir do Vale das Sombras até o norte de Sembia, geralmente sirvam como pontos de encontro. Os Harpistas usualmente operam em segredo, sozinhos ou em grupos pequenos, e eles se opõem a organizações malignas como o Culto do Dragão, o Trono de Ferro, os Magos Vermelhos, os Zhentarim, e a ressurgente igreja de Bane. Ninguém menos do que o mais famoso mago de Faerûn, Elminster, está entre seus líderes, os Altos Harpistas. Fleet, já foi um membro desses “intrometidos”.

As Adagas Noturnas de Selgaunt: As Adagas Noturnas são a mais proeminente guilda de ladrões de Selgaunt. Cale e Riven já foram membros dessa guilda, servindo ao líder dela, os Homens Justos, como tenentes. Como parte de uma elaborada rede de chantagem, as Adagas Noturnas começaram a se infiltrar entre os nobres mercadores de Selgaunt para descobrir segredos de família. Cale se infiltrou nas Torres da Tempestade com mordomo da família Uskreven. Entretanto, Cale desenvolveu uma afeição verdadeira pela família e deu o seu melhor pelos Uskrevren. Eventos subseqüentes levaram Cale a desafiar os Homens Justos e seus guarda-costas demônios. A batalha custou as Adagas muitos de seus membros assim como seu líder. O destino e o futuro da guilda permanecem desconhecidos.

As Máscaras Noturnas de Portão Ocidental: Cale começou sua vida em um orfanato em Portão Ocidental onde ele foi observado e recrutado pelas Máscaras Noturnas. As Máscaras são a mais poderosa guilda de ladrões que opera fora da metrópole de Portão Ocidental na Costa do Dragão, além de Dragonmere e apenas no sul de Sembia. Roubo, entretanto, é a menor das inúmeras atividades ilícitas da guilda. As Máscaras estão envolvidas em assassinato, extorsão, contrabando, chantagem, seqüestro, arrombamento, entre outras coisas. E, Portão Ocidental é apenas a base de suas grandes atividades. As Máscaras operam por toda a Costa do Dragão, tendo cooptado ou eliminado, ou ainda lutando com os restos das guildas de ladinos da Costa.

Os humanos conhecem apenas que os Sem-face tem liderado os Máscaras Noturnas desde sua criação em 1353 CV. O segundo Sem-face foi assassinado em 1368 CV pela heroína Alias e seu companheiro sáurio, Drangonbait. Em completa desordem, a guilda não se recuperou até um Sem-face ainda mais poderoso tomar lugar em 1369 CV.

Os Zhentarim: Os Zhentarim, também conhecidos como a Rede Negra, é uma organização maligna que pretende dominar, especialmente o comércio entre elas, a partir do Mar da Lua, ao norte de Sembia até a Costa da Espada, a oeste. Originalmente uma sociedade secreta, os Zhents agora operam abertamente na área do Mar da Lua, eles tem uma influência particular ao redor da sua grade base de operação, o Forte Zhentil.

Enquanto muitos dos Zhentarim não são nada mais do que mercadores oportunistas, seus líderes assassinaram líderes de comunidades locais, envenenaram poços, negociaram com monstros e divindades malignas, e praticaram horríveis experimentos em inocentes, tudo para obter qualquer poder que suas vítimas tenham. Pessoas que vivem próximas a ao forte dos Zhentarim cresceram acostumados a ver seu símbolo em caravanas, mas eles vivem com medo de um dia verem um exército marchando sobre aquela bandeira.

Os Zhentarim já foram liderados pelo arquimago Manshoon, que era ajudado pelo seu assistente e também aprendiz Sememmon, e pelo alto clérigo de Bane, Fzoul Chembryl. Com o Tempo das Perturbações e a ascensão de Cyric a divindade, os Zhentarim foram enfraquecidos com um líder após o outro. O caótico deus Cyric que “adotou” os seguidores de Bane, danificou a estrutura da organização, a subseqüente quase destruição do Forte Zhentil os deixou sem ter para onde ir, e os constantes fracassos de Manshoon os deixaram sem líder. Com o renascimento de Bane, Chembryl tomou esse lugar, apoderando-se das rédeas do poder, deixando Manshoon como segundo em comando e levando Sememmon a se esconder.

Riven já foi membro dos Zhentarim.

Para mais informações sobre Erevis Cale, dê uma olhada nas aventuras anteriores em Halls of Stormweather, Shadow's Witness, Lord of Stormweather, e nos outros livros sobre Sembia e não perca as futuras aventuras de Cale em Dawn of Night (Junho de 2004) e Midnight's Mask (Abril de 2003). Para mais informações sobre os muitos grupos mencionados acima, procure os produtos sobre Forgotten Realms: Lords of Darkness, Crenças e Panteões, e Livro de Campanha de Forgotten Realms, e também em materiais antigos Cloak and Dagger, Code of the Harpers, Demihuman Deities, Faiths and Avatars, e a caixa Zhentil Keep. Por último, se você está procurando sobre informações de jogo sobre as recentes aventuras de Cale e da família Uskreven ou sobre Stormwaether, compre a Dragon Magazine número 273 (Julho de 2000) e dê uma olhada na linha do tempo dos livros de Sembia.



Sobre o Autor

Thomas M. Costa é membro oficial do comitê na U.S. House of Representatives. Ele tem contribuído em vários produtos da Wizards of the Coast como Demihuman Deities e Raças de Faerûn, e é autor ou co-autor em várias Dragon Magazine e também de artigos no site da Wizards of the Coast.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.