Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Notas de Romance
 
Perfil do Personagem: Will Virapedra

Por Richard Lee Byers
Traduzido por Leonardo de Araujo Alves; revisado por Ricardo Costa.




O Halfling chamado Wilimac “Will” Virapedra nasceu no bairro pobre da cidade sembiana de Saerloon, um lugar notório por seus ladrões e grupos foras da lei. Seus pais morreram de uma febre quando ele ainda era criança, e sua tia cuidou dele após o incidente. Uma pessoa pobre, mas bondosa e piedosa, ela fez seu melhor para educar Will a ser honesto, aplicado, e obediente à lei assim como ela era.

Foi uma batalha árdua. Will a amava e possuía um traço inato de decência que o fazia querer atender aos seus conselhos e repreensões. Mas quando ele olhou em volta para as ruas miseráveis nas quais ele gastava seus dias, parecia a ele que apenas as pessoas que prosperavam e desfrutavam da vida eram batedores de carteira, assaltantes e pessoas desta laia. Esperto, corajoso, forte e ágil, ele estava confiante de que possuía as qualidades essenciais de um fora da lei bem sucedido, e de modo crescente ele ia caindo na tentação de se envolver no mundo dos criminosos. Ele começou cometendo pequenos furtos e executando pequenas missões para membros de gangues e trabalhou daí por diante. Enfim, depois que sua tia morreu, ele se uniu à infame guilda dos ladrões conhecida como os Facas Noturnas apenas para descobrir que não gostava completamente da vida de um membro tanto quanto esperava.

Ele apreciava inteiramente o treinamento, e, enfim, exercitando sua maestria em furtividade, escalada, andar na corda, acrobacias, a funda, e a espada. Ele estava encantado no prazer perverso de dar cabo de um engenhoso e ousado roubo. Mas ele não gostava de muitos membros da guilda. Visto de fora, eles pareciam um encantador grupo de malandros, mas uma vez que ele tinha se tornado um Faca Noturna, aptidão deles para o vício, traição e disputa tornou-se muito aparente. Muitos dos humanos assumiram que poderiam abusar e tirar vantagem de um halfling, e em mais de uma ocasião, ele precisou de suas habilidades recentemente adquiridas com uma espada para afastar aqueles que eram seus supostos parceiros.

Ele experimentou seu grande descontentamento, porém, quando tinha assistido seus companheiros fora da lei machucar os desamparados e inocentes. De qualquer maneira, antes de ele ter entrado para os Facas Noturnas, tinha mais ou menos iludido a si mesmo de que eles faziam contrabando e cometiam furtos, mas que ninguém era realmente ferido no processo. Uma vez membro, ele tinha que assistir seus comparsas espancarem as prostitutas que não conseguiam dinheiro suficiente e destruir o trabalho de donos de lojas que se recusavam pagar suas “taxas”. Em tais momentos, ele se lembrava de sua tia, e estremecia.

Ainda assim, ele bebeu vinho fino, vestiu seda, e carregou ouro tinindo em sua bolsa. Se alguns aspectos de sua vida o atormentavam, bem, que pessoa não sentiria o mesmo? Ele disse a si mesmo para aproveitar sua boa fortuna e superar seus escrúpulos.

Então veio o dia em que quarto de seus comparsas Facas Noturnas raptaram um bebê humano recém nascido. A gangue ameaçou cortar a criança em pedaços se seu pai, aparentemente um abastado comerciante, deixasse de pagar o resgate dentro de três dias. Quando os pais muito consternados disseram que não eram tão ricos como todos pensavam e não podiam pagar muito, os raptores responderam duplicando o preço.

A intuição de Will disse-lhe que o pai e mãe angustiados estavam dizendo a verdade, e ele sabia que seus comparsas membros da guilda eram totalmente capazes de dar cabo de sua ameaça. E ele muito tentou abafar sua consciência, mas esta não o iria permitir ficar de lado e deixar o bebê morrer.

Ele tinha esperanças em roubar a criança de volta para seus pais sendo ele o mais sensato, mas seu plano continha um erro. Ele teria que matar os seqüestradores para realizar seu propósito.

Quando devolveu a criança, seus comparsas ladrões tinham descoberto que ele os havia traído e queriam uma vingança. Simplesmente fugir de Saerloon era um grande desafio que ele nunca tinha enfrentado antes, mas por fim ele orientou bem sua fuga retirando seus perseguidores de seu rastro.

Ainda assim, os Facas Noturnas tinham muitas memórias e contatos ao longo da Sembia, e ele sabia que se pretendia permanecer vivo, precisava abandonar o reino totalmente. Na ocasião, ele vagou para o norte para o Mar da Lua e para a diversa coleções de cidades estados em suas margens.

Lá, ele cresceu solitário e logo percebeu que ele não tinha idéia de como queria gastar seus anos restantes. A vida de um fora da lei tinha perdido seu sabor, mas a vida de um trabalhador comum parecia-lhe duro, maçante, e geralmente não pouco compensador.

A Dama da Sorte resolveu seu dilema colocando-o em contato com um bando de caçadores de bestas de aluguel, cada um expatriado como ele mesmo e, consequentemente, um pouco dispostos a dar boas vindas a outro viajante sem lar em sua compania. Will os convenceu que sua furtividade e sua facilidade com as armas provaram ser úteis em uma caçada como encarregado da pilhagem, e eles o tomaram como um companheiro.

Ele achou a vida de um caçador adequada e forjou uma amizade firme com seus novos colegas, o meio-golem Dom Riacho Cinzento, o anão do ártico Raryn Roubaneve, e particularmente Pavel Shemov, um damarano sacerdote de Lathander, deus do amanhecer. Os dois disfarçam seu respeito mútuo com uma interminável troca de insultos.

Em 1373, o ano dos Dragões Ladinos, Will encontra sua vida de cabeça para baixo quando ele e seus colegas tornaram-se figuras essenciais na desesperada aventura para encerrar a Ira dos Dragões que estava afligindo toda Faerûn. Como seus amigos, Will sentiu-se aquém do desafio, mas tinha pouca inclinação a admiti-lo. Uma fachada de convencido sempre tinha lhe servido bem. Ele resolveu fazer o seu melhor para realizar a tarefa amedrontadora em suas mãos, assim como sua tia queria, e se ele tem a chance de saquear a riqueza de um dragão ou embolsar algum outro tesouro ao longo do caminho, seria muito melhor.

Will é uma pessoa de aparência agradável, um halfling um tanto bonito com tranças negras emoldurando seu rosto em forma de coração. Ele veste uma armadura de couro e carrega um estilingue de guerra e uma espada curva de lâmina larga para caça, aparentemente muito grande para um guerreiro de sua estatura. Ele é um mestre combatente com um estilo de luta que explora seu pequeno tamanho e sua habilidade acrobática para tirar vantagem, como muitos de seus oponentes maiores puderam descobrir.

Para ler mais sobre este romance, veja uma amostra de um capítulo em na página de produto The Ruin...



Para ver esta e outras publicações de romances vá para nossa seção de suplementos - romances.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.