Os Últimos Dias
de Glória
O que é RPG
Página Principal
A Comitiva da Fé
Definição
Histórias
Última História
Personagens
Jogadores
Galeria de Arte
Diversos
Forgotten Realms
 Definição
 Geografia 
 Divindades
 O Mundo
 Organizações
 Personagens
Artigos
 Galeria
Suplementos
Autores
Site
 Matérias
 Downloads
 Notícias
 Parceiros
Links
 Sobre o Site
 Glossário
 Créditos
Mensagens Arcanas
E-mail


powered by FreeFind

Notas de Romance
 
Perfil do Personagem: Senhora Arya Venkyr

Por Erik Scott de Bie.
Traduzido por Cristiano Lagame; revisado por Daniel Bartolomei Vieira.




Senhora Arya Venkyr, A Rouxinol de Everlund (ou Maranheterna)

“Ser uma nobre, Bars, não me torna indefesa”. O elmo foi removido, e a cavaleira balançou sua longa cabeleira castanho-avermelhada. Olhos cinzentos brilharam por trás de seu sorriso e a luz do sol dançou através de seus dentes e de seu rosto levemente bronzeado. Arya Venkyr era como uma ave canora folheada em penas de aço. Mais do que alguns transeunte prenderam a respiração. "Bem como ser uma nobre senhora".

"Claro que não, moça – Digo, Senhora Arya", Bars gaguejou. "Eu não disse nada disso".

"Você ia dizer uma coisa dessas, talvez?". Ela colocou suas mãos no quadril e levantou uma sobrancelha ruiva.

– Citação do livro Andarilha Fantasma [Ghostwalker]

A Senhora Arya Venkyr é uma valorosa – enquanto jovem e impetuosa - cavaleira Andante de Lua Argêntea. Filha única do viúvo Rom Venkyr, um senhor rico e prestigiado em Everlund (ou Maranheterna), ela fugiu de casa para uma vida fora das regras e restrições. Ela tem cerca de 1,80 m de altura, e cabelos ruivos, acerados olhos cinzentos e um sorriso espirituoso.

O símbolo da Casa Venkyr é um rouxinol sobre uma lua dourada crescente adornado sobre um campo igualmente dourado, e Arya é muitas vezes é referida como a Rouxinol de Everlund (ou Maranheterna) em honra deste símbolo. Ela ostenta o escudo de sua homônima, Aryena, uma princesa da lenda de Illuskan, que sempre passa sua herança para uma pessoa do sexo feminino em sua honra.

A única filha de um cavaleiro que desejava ter um filho e cuja mãe tinha morrido no parto, Arya descobriu que preferia ter amigos do sexo masculino. Ela aprendeu esgrima com Bars Sanguevínico, um filho de paladino e escudeiro, e vadiava pelas ruas com Derst Tomaouro, um encrenqueiro pobretão, punguista e, quando mais velho, um libertino e malandro. Foi uma vida de amizade que pode traduzida como um laço inabalável.

Em Uktar de 1367, em seu décimo oitavo inverno, Arya fugiu de casa para Lua Argêntea, levando consigo seu antigo escudo Rouxinol da familia. Lá, muito acidentalmente, ela conheceu Dove Garra de Falcão na estrada e foi auxiliada por ela, sendo guiada para longe de uma quadrilha de bandidos. Isto a levou a conhecer a irmã de Dove, Alustriel, e o início de uma amizade com a Alta Senhora. Alustriel tornou-se para Arya como uma irmã mais velha para substituir sua mãe que ela nunca conheceu.

No ano seguinte, ela ajudou em uma ação contra um grupo de demônios fora da Fortaleza do Portão do Inferno, seguindo de perto devido os melhores esforços do Grande Mestre Alathar, chefe dos Cavaleiros em Prata. Em honra aos seus esforços – mais sorte do que habilidade, ela diria – ela foi induzida à nobreza no seu décimo nono inverno. Em 1372, ela foi instrumental em uma tentativa frustrada de tirar a vida de Alustriel, e por isso ganhou a maior honra da nobreza. Alustriel ofereceu a Arya uma promoção, mas a jovem cavaleira recusou qualquer título além Cavaleira Errante.

Ela saltou adiante e arrebatou sua espada da bainha. Uma flecha atingiu seu lado, através da armadura de placas, e ela gritou com a súbita ardência que percorreu seu corpo. Se estivesse sem armadura, o tiro teria sido fatal.

"Arya… corra…", ele disse engasgando de dor. Ele agachou e segurou o cabo de sua espada. "Eles estão atrás de mim…"

Ela pegou sua mão e segurou firme. Ele olhou para cima, e havia um fogo resoluto conhecido entre eles, que sumia dos olhos dele agora. Ela levantou-se e ficou diante de sua forma prostrada.

"Deixe-os vir", disse Arya, sua voz cortando como uma faca.

Meia dúzia de figuras escuras espreitavam por trás das árvores, o aço brilhando em suas mãos. Arya – de espada e escudo prontos – ficou sozinha para enfrentá-los.

– Citação do livro Andarilha Fantasma [Ghostwalker]

No Ano das Tempestades de Relâmpago (1374 CV), Arya Venkyr cavalgou com com o estandarte de Lua Argêntea como um Cavaleiro em Prata. Seus feitos e beleza inspiram o povo, enchem Alustriel de orgulho e confundem completamente o seu pai.

Devido sua amizade com a Alta Senhora, a Rouxinol muitas vezes se encontra em missões críticas para a jovem nação. Seus antigos amigos e colegas cavaleiros Bars e Derst cavalgam ao lado de Arya para o bem. Juntos, os três partem em aventuras de incalculável heroísmo, nobre objetivo e humor descolorido.

No final de Tarsakh, os três viajaram para Quaevarr para o festival da Gramaverde. Lá eles planejam procurer refúgio dos assédios do Lorde Rom, visitar o distante tio-avô de Arya Dharan Greyt e – enquanto estão por lá – completer uma missão secreta para Alustriel e para as Fronteiras Prateadas. Tudo isso em um dia de trabalho para a Rouxinol de Everlund (ou Maranheterna).

Ou assim ela pensa.

Para saber mais sobre este romance, confira uma amostra de capítulo na página do produto Andarilha Fantasma [Ghostwalker].



Para ver esta e outras publicações de romances vá para nossa seção de suplementos - romances.

Os Últimos Dias de Glória © Todos os direitos reservados 2004 - Forgotten Realms™ e seus personagens são marcas registradas da Wizards of The Coast Inc.
This page is a fan site and is not produced or endorsed by Wizards of the Coast. Forgotten Realms is a registered trademark of Wizards of the Coast, Inc.